mercantilismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1857 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de dezembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto




UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS – CCSA
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL

Mercantilismo

Mercantilismo é a teoria e prática econômica que defendiam, do século XVI a meados do XVII, o fortalecimento do estado por meio da posse de metais preciosos, do controlegovernamental da economia e da expansão comercial.
Para a consecução dos objetivos mercantilistas, todos os outros interesses deviam ser deixados a segundo plano: a economia local tinha que se transformar em nacional e o lucro individual desaparecer quando assim conviesse ao fortalecimento do poder nacional.
Alcançar a abundância de moeda era um dos objetivos básicos dos mercantilistas, já que, aforça do estado dependia de suas reservas monetárias. Se uma nação não dispunha de minas, tinha de buscar o ouro necessário em suas colônias ou, adquiri-lo por meio do comércio, o que exigia um saldo favorável da balança comercial – ou seja, que o valor das exportações fosse superior ao das importações.
Foi durante o mercantilismo que iniciou-se o emprego de sistemas de contabilidade eacompanhamento das contas de receitas e despesas do estado, a criação de uma fiscalização centralizada e a adoção de leis que desestimulassem a importação de bens improdutivos e de grande valor.
Não tinham como finalidade o desenvolvimento da manufatura nacional, mas sim, a maior acumulação possível de metais nobres.
O mercantilismo foi o instrumento que assegurou as condições econômicas e financeirasnecessárias para garantir a expansão dos estados absolutistas europeus.
Os principais promotores e representantes do mercantilismo foram:
• Jean-Baptiste Colbert da França – Ministro da Fazenda de Luís XIV
• Jean Bodin da França
• Antoine de Montchrestien da França
• Thomas Mun da Grã-Bretanha
• James Steuart da Grã-Bretanha
• Josiah Child da Grã-Bretanha
• Antonio Serra na Itália
Marquês dePombal de Portugal


Características do mercantilismo
Embora as praticas e ideias não tenham sido aplicados de maneira homogênea, o mercantilismo apresentou alguns elementos comuns nas diferentes nações europeias:
Balança comercial favorável – consistia na ideia de que a riqueza de uma nação estava associada a sua capacidade de exportar mais do que importar. Para que as exportaçõessuperassem sempre as importações (superávit), era necessário que o Estado se ocupasse com o aumento da produção e com a busca de mercados externos para a venda dos seus produtos;
Monopólio – controladores da economia, os governos interessados numa rápida acumulação de capital, estabeleceram monopólio sobre as atividades mercantis e manufatureiras, tanto na metrópole como nas colônias. Donos do monopólio,o Estado o transferia para a burguesia metropolitana por pagamento em dinheiro. A burguesia favorecida pela concessão exclusiva comprava pelo preço mais baixo o que os colonos produziam e vendiam pelo preço mais alto tudo o que os colonos necessitavam. Dessa forma, a economia colonial funcionava como um complemento da economia da metrópole;
Protecionismo – era realizado através de barreirasalfandegárias, com o aumento das tarifas, que elevava os preços dos produtos importados, e também através da proibição de se exportar matérias-primas que favorecessem o crescimento industrial do país concorrente;


Tipos de mercantilismo 

Existem vários tipos de mercantilismo, suas doutrinas e práticas variam de Estado para Estado, conforme as condições específicas de cada Estado. 


Espanha:metalismo ou bulionismo

O bulionismo ou metalismo é caracterizado pela quantidade de riqueza obtida através de metais ou materiais preciosos. Tornou-se a forma mais tradicional e antiga do mercantilismo. Os praticantes dessa teoria foram os espanhóis que possuíam colônias produtoras de metais na América, e isso lhes condicionava a importação de produtos manufaturados, e até mesmo os...
tracking img