Mente criminosa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1821 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
 
 
 
 
 

MENTE CRIMINOSA
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  
SUMÁRIO
 
INTRODUÇÃO---------------------------------------------------------------------------- 2
 
1         JUSTIFICATIVA---------------------------------------------------------------------- 3
 
2         OBJETIVOS--------------------------------------------------------------------------- 4
2.1     Geral---------------------------------------------------------------------------------- 4
2.2      Específicos--------------------------------------------------------------------------- 4
 
3         QUESTÃO/PROBLEMA-------------------------------------------------------------- 7
 
4         HIPÓTESE----------------------------------------------------------------------------- 8
 
5        METODOLOGIA--------------------------------------------------------------------- 9
 
6         REFERNCIAL TEÓRICO------------------------------------------------------------ 10
 
BIBLIOGRAFIA-------------------------------------------------------------------------- 1







     INTRODUÇÃO
 
           A busca de uma explicação sobre as causas de um crime é uma necessidade naturalpara o ser humano, não só para entender o que acontece a sua volta, mas também porque é uma maneira de evitar que as histórias se repitam. Em muitos casos, as questões sociais dão respostas consideradas satisfatórias por boa parcela da população. Ainda mais em um país como o Brasil, onde a desigualdade e a falta de condições dignas para os mais necessitados são evidentes. Mesmo assim, em meio a umadesvalorização cada vez maior da vida, se faz necessário entender os mecanismos do cérebro em relação ao crime e à violência. Faz-se necessário que unamos forças e pesquisas nessa área, para a identificação das diferentes mentes criminosas, novos moldes de sistemas prisionais, novas propostas de tratamento psiquiátrico e psicológico, novas leis que permitam apartar do convívio social indivíduospara os quais ainda se desconhece cura ou reabilitação, mantendo a sociedade protegida da violência sem limites que esses indivíduos loucos ou cruéis, são capazes de cometer durante toda a vida. A crueldade dos crimes nos direciona a tomar posse daquelas frases feitas e bem colocadas "Quem fez isso só devia estar louco", por isso, o Juiz diante de um crime bárbaro, antes de julgar o indiciado,procura achar a priori o seu próprio ponto de entendimento e determinação, pois são estes dois índices de avaliação que medem o grau de imputabilidade do indiciado. O mundo está de ponta-cabeça.
 
 
 
 
 
 
1         JUSTIFICATIVA
            A Ação humana deriva de um contexto biológico, ambiental e psíquico, e o homicídio, nesse contexto, se apresenta como um comportamento de altacomplexidade. Decorre de causas múltiplas. Para se entender por que uma pessoa mata outra pessoa, é preciso compreender fatores como o estado emocional, as características da personalidade, a impulsividade. A criminalidade atual tem constatado violações cada vez mais peculiares da lei, da moral e da ética, tem se surpreendido pela produção de delitos em faixas etárias cada vez menores, pela atitudecriminosa cada vez mais presente em pessoas "normais", do ponto de vista sócio-cultural, por delitos motivados cada vez mais por questões de difícil compreensão.
           Cogitar sobre a existência de uma personalidade propensa ao crime e ao delito sempre foi uma preocupação de muitos autores da sociologia, psiquiatria e antropologia. Alguns identificam nessas pessoas naturalmente más,portadores de Transtorno Anti-Social da Personalidade, ou Sociopatas, ou Psicopatas e coisas assim. Vamos refletir sobre algumas questões dessa natureza.
.
 
 
 
 
 
 
 
 
2         OBJETIVOS
 
2.1   Geral
 
            O que levou a elaborar o presente trabalho foi o desejo de abordar, de modo simples e claro, a mente humana doente, ou melhor, do indivíduo desprovido...
tracking img