Menores infratores

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1146 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RATIO
CURSO DE SERVIÇO SOCIAL OU SEGURANÇA DO TRABALHO
METODOLOGIA DA PESQUISA
PROJETO DE PESQUSIA

ETANIELLE ARAÚJO DE OLIVEIRA

PRÉ-PROJETO
MENORES INFRATORES

Turma 309

FORTALEZA-CEARÁ
2012

ETANIELLE ARAÚJO DE OLIVEIRA

PRÉ-PROJETO
MENORES INFRATORES

FORTALEZA-CEARÁ
2012

SUMÁRIO

1.1 Delimitações dotema.................................................................... Pág. 4
1.2 Problema........................................................................................Pág.4
1.3 Justificativa....................................................................................Pág.5
1.4Justificativa....................................................................................Pág.6
1.5 Justificativa.....................................................................................Pág.7
1.6 Objetivos Gerais.............................................................................Pág.8
1.7 Objetivos Específicos......................................................................Pág.8
1.8 ProcedimentosMetodológicos.......................................................Pág .9
1.9Cronograma.....................................................................................Pág.9
2.0 Referência........................................................................................Pág.9


1 DELIMITAÇÃO DO TEMA

O problema dos menores infratores, na faixa etária de 12 anos a 17 anos no Bairrodo Autran Nunes, no município de Fortaleza-Ce.

1 PROBLEMA
Nos últimos anos o número crescente de menores infratores envolvido em atos infracionais vem assustando os moradores do Autran Nunes.
Os constantes assaltos homicídios o envolvimentos com drogas e a falta de educação nos causam anseio e medo.
Não sabemos ao certo qual o alvo desta problemática, mas o que realmente queremos saber éo que vai ser feito?

2 JUSTIFICATIVA

É de se ressaltar que a violência entre os adolescentes tem crescido vertiginosamente, de modo que estes estão assemelhados aos adultos em suas atividades delitivas, conscientes, pois, do que querem fazer, e não subprodutos indefesos de uma situação social que os pretere. Não é mais uma questão de cunho exclusivamente político-social, mas jurídico,notadamente no que tange à punição dos infratores. Entende-se que a preocupação exagerada dos legisladores em relação à elaboração de medidas socioeducativas recuperativas é explicada pelo fato de o menor ser ainda um indivíduo em processo de construção da personalidade, que por um ou outro motivo, comete delito, mas que ainda pode ser resgatado para uma sociedade justa no futuro, afastando-o dagrande possibilidade que o ronda, no sentido de continuar a delinquir, quando de sua imputabilidade. Na verdade, os legisladores entendem a repressão tal qual no sistema aplicado aos imputáveis como sendo muito rigoroso e que na maioria das vezes não recupera. Assim, o adolescente submetido à tal tratamento, passaria de sua personalidade ainda não formada para a deformada pelos procedimentosinconsistentes e ausentes de propostas recuperativas dos presídios, que não raras vezes, revolta e aguça a tendência para o crime. Essa posição evidencia que o tratamento dos menores é muito mais amplo que a simples repressão aos atos infracionais, mas trata-se de uma política de caráter assistencial, que visa educá-lo e regenerá-lo, de modo a torná-lo útil ao país e a si próprio. Não há, pois, ointeresse da legislação em apenas punir, mas tentar resgatar esse adolescente entregue á delinquência enquanto ele ainda é passível de tratamento eficaz de revitalização. É, pois, possível que as medidas socioeducativas da atual legislação menorista estejam sendo eficazes para combater a crescente marginalização dos menores? Ou, por sua brandura tem concorrido para o aumento da criminalidade entre os...
tracking img