Memorial spda

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1466 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO




Apresentação

O presente memorial refere-se ao projeto de SPDA (Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas) de um Banco. Situado

Prancha I: Croqui da vista superior com a malha.
Prancha II: Método de FRANKLIN
Prancha III: Descidas
Incluindo ainda, no presente projeto, uma relaçãode material completa.



Descrição do Sistema

Para a proteção contra descargas atmosféricas, foi projetado na parte externa da construção um sistema de captores de descargas atmosféricas, contendo a combinação de hastes com condutores em malha, sendo essa malha contendo captor em forma de anel no seu perímetro.

A proteção interna é através de equalizaçãode potencial que é obtida mediante a condutores de ligação equipotencial de cobre nu com 16 mm², segundo a tabela – Seções mínimas dos condutores de ligação equipotencial para conduzir parte substancial de carente de descarga atmosférica, esses condutores estão conectados a uma barra localizado em cada quadro de comando protegendo os equipamentos instalados no prédio, que está conectada ao sistemade aterramento.
O projeto tem como objetivo a instalação de um dispositivo de proteção contra descargas atmosférica (SPDA), para proteger a edificação contra incidentes direta dos raios. A instalação também tem função de proteção contra a incidência direta de raios sobre pessoas e equipamentos que encontram-se no interior da edificação.

É utilizado o método da Gaiola deFARADAY. Utilizado cabos de cobre nu e captores aéreos na cobertura. Em conjunto, o método FRANKLIN com 3 tipos de hastes, todas de aço galvanizado, protegendo a parte da frente da construção onde se encontra a parte administrativa além de contar com o acervo mais valioso.




Norma

O presente projeto de SPDA foi elabora de acordo com as normas brasileiras(NBR-5419:2005).




Captores

Foi projetado dois tipos de captores, um com método da Gaiola de FARADAY onde consiste em uma malhas de cobre maciço nu 10 x 15 metros de 35mm², com fixação horizontal reforçado com 20cm de altura separados a uma distancia de 5 metros, os captores deverão ser interligados através de um cabo de cobre nu de 35mm², soldando suas extremidades,utilizando solda exotérmica.

O outro captor é o método FRANKLIN onde foram projetados para a área da frente do prédio, 65 metros de largura e 15 metros de comprimento, foi projetado 3 alturas de hastes diferentes pra proteger tal área, sendo 16 hastes de 6 metros, 16 hastes de 3 metros e outras 7 hastes de 4 metros. Essas hastes são de aço galvanizado. Ver prancha II.Descidas

As descidas foram determinadas pela TABELA – Espaçamento médio dos condutores de descida não naturais conforme o nível de proteção, que consta na norma. Foram determinadas 30 descidas mínimas, segundo os cálculos de descida com espaçamento médio de 15 metros entre os condutores de descida conforme o nível de proteção II, conforme prancha III.As descidas são de cobre nu de 16mm², sendo descida tipo externa, projetada para ficar a uma distancia segura de janelas e portas. A sua fixação será através de Fixadores Ômegas em cobre, com uma distancia de um metro entre cada um.
Os cabos de descida serão protegidos contra danos mecânicos a uma altura de 3 m acima do nível do solo. A proteção deve ser por eletroduto rígido de PVCdiâmetro de 1” x 3m (DN 32) e fixado por abraçadeiras de PVC tipo colar diâmetro de 1” (DN 32). Junto ao final do eletroduto, será implantada uma caixa de inspeção suspensa com conector de medição.



Aterramento

O aterramento será através da instalação de hastes de aterramento de 5/8”x 3,0 metros alta camada localizada a um metro da edificação em todo perímetro,...
tracking img