Memorial de calculo projeto pilares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2491 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIP - Universidade Paulista
ECA – ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

- 1-

UNIP - Universidade Paulista

EST R U T U R A S DE CONCRETO ARMADO EC A

CÁLCULO E DETALHAMENTO DE PILARES EM CONCRETO ARMADO

N OT A S D E A U L A - 0 7

Fernando de Moraes Mihalik

UNIP - Universidade Paulista
ECA – ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

- 2NA_07/2012

ESTRUTURAS NOTAS DE AULA - PARTE 7 CÁLCULOE DETALHAMENTO DE PILARES EM CONCRETO ARMADO
1. Introdução

Pilares de canto: P1, P4, P13 e P16 Pilares de borda ou de extremidade: P2, P3, P5, P8, P9, P12, P14 e P15 Pilares centrais: P6, P7, P10 e P11

Para uma estrutura como a esquematizada acima, sujeita apenas a cargas verticais, sem a consideração de vento na estrutura, as cargas nos pilares são obtidas através das reações de apoioconsideradas no cálculo estático das vigas do pavimento. No caso mais comum, as vigas são calculadas como contínuas ou isostáticas, simplesmente apoiadas nos pilares, transmitindo assim, apenas cargas verticais a eles. Nesses casos os pilares teoricamente estão sujeitos a uma compressão centrada, onde o valor da carga de compressão N é obtido do diagrama de esforços cortantes das vigas que afluem aopilar em estudo. Também é possível a consideração das vigas ligadas aos pilares , formando pórticos nas duas direções; nesse caso as cargas transferidas das vigas aos pilares não são apenas cargas verticais, mas também momentos, que podem ser chamados de momentos de engastamento parcial das vigas no pilar. Nesses casos, os pilares estão sujeitos a esforços de compressão e flexão, situaçãoconhecida como flexocompressão ou flexão composta. No caso de momento apenas em uma direção, a flexão composta é dita reta, e no caso de momentos nas duas direções, acontece a flexão composta obliqua.

Para a estrutura acima, de uma forma simplificada, pode-se considerar que os pilares de canto estão sujeitos a uma flexão composta obliqua, enquanto os pilares de borda (ou de extremidade) estão sujeitosa flexão composta reta. Quanto aos pilares centrais, eles podem ser considerados sujeitos a uma compressão centrada, uma vez que não são transferidos momentos a eles.

Fernando de Moraes Mihalik

UNIP - Universidade Paulista
ECA – ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

- 3-

2.

Geometria
a) Seção Transversal Convenção adotada no curso: - Pilares Retangulares: - Pilares Circulares: - Pilaresde Seção Qualquer:

h = lado menor do pilar h = diâmetro do pilar h = menor dimensão da seção

Conforme a NBR-6118, a menor dimensão recomendável da seção transversal é: h = 19 cm, permitindo-se em casos especiais ter valores de h entre 19 cm e 12 cm. Nesses casos, deve-se multiplicar as ações por um coeficiente adicional. Coeficiente adicional:

 n  195  0,05h ,
Tabela: Valores de nem função de h

h (cm)

n

12 1,35

13 1,30

14 1,25

15 1,20

16 1,15

17 1,10

18 1,05

19 1,00

Para valores de h superiores a 19 cm, o valor de n é 1,00

Fernando de Moraes Mihalik

UNIP - Universidade Paulista
ECA – ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

- 4-

b) Comprimento Equivalente - le (Comprimento de flambagem, ou de Euler) O comprimento equivalente do pilar,vinculado nas duas extremidades, a ser considerado é:

l 0  h le   l

ou

l 0  b le   l

, sendo:

l0

- distância entre as faces internas dos elementos

estruturais h ou b - altura da seção transversal medida no plano da estrutura analisado

l

- distância entre os eixos dos elementos estruturais

Valor Usual: Em edifícios, de uma forma geral, é comum a utilizaçãopara o valor de le, a distância entre os pisos. (ou seja, o pé-direito de piso a piso) No caso de pilar engastado na base e livre no topo, adota-se le = 2 l .

c) Índice de Esbeltez - l

l 

le

i

, sendo i o raio de giração da seção transversal:

i 

I A

Pilar retangular: l  Pilar circular:

le 12 h le 4 l  h

Fernando de Moraes Mihalik

UNIP - Universidade Paulista...
tracking img