Memorial acadêmico

Páginas: 12 (2910 palavras) Publicado: 13 de outubro de 2011
Capítulo 1
Hoje estou refletindo sobre meu passado e minha historia fiz um flash back e cheguei à década de 70, onde vou começar minha narrativa.
Faz-se necessário que eu forneça muitos detalhes tais como usos costumes e cultura local a fim de colocar meu caro leitor sobre um prisma que ele possa vislumbrar essa história de vida comum, ou seria incomum? Deixo esse julgamento para o leitor,afinal eu não sei como ele define comum.
Como eu ia dizendo...... Nasci em janeiro de 70, comecinho da década. Em uma família grande “bem grande”. Eu era a quarta filha para suceder o trono, digo era porque após mim eis que nasceram mais um, dois, três...... Dez lindos irmãozinhos totalizando quatorze filhos de seu José e dona Maria Ferreira.
Família respeitada na comunidade local, minha mãe por terum caráter acima de qualquer suspeita e meu pai por ser muito trabalhador.

1

Capítulo 2
Minha mãe descendia de índios e meu pai de uma dinastia portuguesa.
Ainda que o parentesco português fosse muito, mas muito distante mesmo; a família de meu pai nutria com isso um preconceito racial imenso, prezavam muito a cor da pele branca.
Minha mãe é morena e minhaavó paterna não a tinha como nora, e sim como uma serviçal da família.
No inicio da maternidade minha mãe foi contemplada com três lindas filhas loiras e ia tudo seu curso normal quando de repente nasceu uma moreninha na família; eu não sei se a vida imita arte se nesse tempo à lenda do patinho feio já fazia sucesso ou se começou a partir daí.
Minha mãe relata como foi visível odescontentamento de meu pai, duas frustrações pra ele com esse nascimento: uma menina quando tudo que ele queria era um menino e ainda por cima uma menina pretinha como ele dizia.
2

Capítulo 3
Por causa desses episódios já mencionados desde cedo conheci o que era preconceito e o que era rejeição.
Papai não tinha como explicar seus sentimentosnegativos em relação a mim, então, vez por outra ele insinuava que eu era filha do vizinho. Pra piorar as coisas o vizinho e toda sua família me amavam. Só que esse afeto tinha um efeito contrário, causava conflito. Quero mencionar que esse vizinho me amava tanto porque eu parecia muito com minha mãe, sendo assim ele me presenteou com um candidato a marido seu filho mais velho. Éramos crianças e eles sófalavam nisso. O pobre garoto cresceu iludido com essas conversas.

3



Capítulo 4
Os primeiros anos se passaram...
Cegou a época dos pais de família colocarem seus filhos na escola.
Eu sou paraense nasci em um lugar que talvez nem tenha no mapa. No RG está escrito natural de vizeu. Sóque, outeiro onde nasci fica á uns 70 km de vizeu, e uns 450 km da capital.
Nesse lugar reinava extrema pobreza, não se tinha vacinas água tratada nem se ouvia falar, verminose era causa de muitos óbitos infantis.
O único lazer do lugar era brincar de roda a noite com os amigos e toma banho nos rios que banhava a pequena vila de outeiro um rio se chama Piria o outro se chama Piritoro.
Nesselugar se cultiva a malva, a mandioca, o milho e o feijão e arroz. Produzia-se muita farinha havia fartura de manga.

Todo colono apesar de viver abaixo da linha da pobreza uns cinco degraus, geralmente tinha duas casas uma na vila e outras nas suas terras. A casa da vila servia pra fins de semana casamento e
4
Batizado e a do sítio era onde se batalhava opão de cada dia.
No Pará chove muito, lá só se conhece duas estações verão e inverno, no inverno que vai de janeiro a junho as crianças iam à escola no outro semestre iam pra roça, era tempo de plantar e colher assim era nossa rotina.

5

Capítulo 5
Lembro – da euforia que a noticia da escola me causou, perdi o sono tracei...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Memorial academico
  • memorial acadêmico
  • Memorial acadêmico
  • Memorial academico
  • memorial academico
  • Memorial acadêmico
  • memorial academico
  • Memorial Acadêmico

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!