Memoria e patrimonio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1178 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Banda de Ipanema

História
Conta-se que em 1959 o clima do bairro de Ipanema era de uma cidade de interior. Ferdy Carneiro convidou alguns amigos para inaugurar um clube em Ubá (MG), durante o feriado de carnaval. A turma de amigos, entre eles Albino Pinheiro, Paulo César Saraceni e J. Rui, presenciou uma manifestação carnavalesca tradicional na cidade, realizada pela famosa BandaPhilarmônica Embocadura, que pertencia à família de Ferdy. Era uma banda em que os pseudomúsicos saíam trajados de branco e com chapéu de palha, sendo que nenhum deles tocava instrumento algum. Atrás, vinha uma banda de verdade, que animava o carnaval de Ubá, terra de Ary Barroso. Quando Ferdy e seus amigos voltaram ao Rio, inspirados naquela animada festa que viram em Ubá, decidiram criar a sua própriabanda.
No carnaval de 1965, ano do 4.º Centenário da Cidade do Rio de Janeiro, tendo como referência aquela banda de Ubá, Albino Pinheiro, animador cultural e considerado “o prefeito espiritual da cidade do Rio de Janeiro”, por sua animação e carioquice, o designer Ferdy Carneiro, o cartunista Jaguar, futuro criador do jornal Pasquim, e mais alguns amigos fundaram a Banda de Ipanema. Em um bar,Jaguar fez a lista com os nomes dos integrantes: trinta, ao todo. Primeiro carnaval após o golpe militar, quando era proibido juntar mais de 50 pessoas em local público, a Banda de Ipanema conseguiu reunir cerca de 10 mil foliões.
Desde o primeiro desfile, a banda exibe uma faixa com um lema – “Yolhesman Crisbeles” – tirado da pregação de um desajustado, que vendia bíblias na Central do Brasil, eque seria a frase que identificaria o verdadeiro anjo do juízo final. Os agentes militares do Exército pensavam que era crítica à ditadura, mas a frase não significava absolutamente nada.


Nascida da combinação de boêmios intelectuais com o espírito dos blocos carnavalescos dos subúrbios, a banda desfila 15 dias antes do carnaval, antecipando a folia carioca. Sempre teve padrinhos emadrinhas famosos. Ser padrinho ou madrinha da Banda de Ipanema é uma grande honra, como se vê pelos nomes escolhidos nesses 12 anos de existência: Clementina de Jesus, Nássara, Eneida de Morais, Bibi Ferreira, Lúcio Rangel, João de Barro, Leila Diniz, Aracy de Almeida, Clara Nunes, João Nogueira, Oscar Niemeyer, Grande Otelo, Martinho da Vila, Nélson Cavaquinho e Cartola”.
O percurso da banda é sempreo mesmo: Praça General Osório, rua Teixera de Melo (na contramão), avenida Vieira Souto, rua Joana Angélica, rua Visconde de Pirajá, e retorno à praça General Osório.


Tombar a banda é perseverar a memória.
Em 2003, a Prefeitura do Rio decidiu tombar a Banda de Ipanema. Para todos os efeitos, agora ela é eterna. Com a publicação do decreto no Diário Oficial, a Banda de Ipanema tornou-se oprimeiro bem não-material a ser tombado no Rio, ou seja, tem de ir pra rua todos os anos, levada pelos organizadores ou pela prefeitura.
O decreto Nº 23926 de 23 de Janeiro de 2004 declara: PATRIMÔNIO CULTURAL CARIOCA A BANDA DE IPANEMA..
O prefeito da cidade do Rio de Janeiro Cesar Maia em curso, no uso de suas atribuições legais e, considerando a importância cultural da Banda de Ipanemapara a cidade do Rio de Janeiro; considerando que a Banda de Ipanema se tornou referência cultural do carnaval carioca para o país; considerando a necessidade de se preservar a memória imaterial da cultura carioca;considerando o parecer do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural no processo 12/000.111/2004.
DECRETA
Art. 1.º Fica declarado Patrimônio Cultural Carioca a Banda de Ipanema, nostermos do Art. 4º Parágrafo 1º, do Decreto 23162/03.
Art. 2º O órgão executivo municipal de proteção do Patrimônio Cultural inscreverá o bem no Livro das Atividades e Celebrações.
Art. 3.º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Rio de Janeiro, 23 de janeiro de 2004. – 439º ano de fundação da Cidade

“Foi tombada, então não pode acabar. Se um dia os novos diretores...
tracking img