Meio tsi

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1199 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - CESNORS
CAMPUS DE PALMEIRA DAS MISSÕES
CURSO DE NUTRIÇÃO










Meio TSI































Palmeira das Missões, novembro de 2010.
Introdução


O meio TSI (triple sugar iron) é um meio diferencial recomendado para a identificação de bacilos entéricos,baseado na fermentação de glicose, sacarose e lactose e na produção de sulfeto de hidrogênio (H2S).O ágar é fundido deixando solidificar formando uma superfície inclinada.Essa configuração origina duas câmaras de reação dentro de um mesmo tubo. A porção inclinada, exposta em toda sua superfície ao oxigênio atmosférico, é aeróbia. A porção inferior está protegida do ar, e é relativamente anaeróbia.Nesse meio há glicose, lactose e sacarose, sendo que todas as enterobactérias fermentam de início a glicose, de tal forma que a cor do meio muda de abóbora para amarelo, devido a uma mudança de pH (se torna ácido). A glicose pode ser fermentada com ou sem produção de  gás e, quando houver, aparecerão bolhas no tubo ou o meio ficará quebrado. Caso a bactéria não fermente a glicose, a coloração domeio ficará toda na cor original, sem alteração, mas isso é um indicador de que a bactéria em questão não é uma enterobactéria. Quando há produção de H2S, a base do meio fica escura, podendo desaparecer completamente os indícios amarelos de que fermentou a glicose.
Quando a glicose do meio acaba como fonte de energia, as bactérias podem fermentar sacarose e/ou lactose, se possuírem amaquinaria enzimática para tal, ou fermentarem peptídeos e outras substâncias, caso não sejam capazes de fermentar sacarose nem lactose.
 É essencial que as culturas sejam observadas após 18 a 24 h de incubação para evitar que os hidratos de carbono sejam completamente utilizados e que ocorra degradação das peptonas, formando produtos finais alcalinos. É na rampa que se faz a leitura da lactose e dasacarose, no fundo do cilindro a da glicose e no meio do cilindro a de H2S. Após incubação podem ser determinadas as atividades fermentativas, a produção de gás e a produção de H2S, podendo ocorrer vários resultados:
- Cilindro ácido (amarelo) e rampa alcalina (vermelha):
Só a glicose foi fermentada. Os microrganismos degradam, preferencialmente, a glicose em primeiro lugar, mascomo este substrato está presente em concentração mínima, a quantidade de ácido produzida é limitada e é rapidamente oxidada na superfície da rampa. Por outro lado, as peptonas do meio são também usadas na produção de substâncias alcalinas. No cilindro, a reação ácida é mantida devido à tensão reduzida do oxigênio e ao crescimento mais lento dos microrganismos. O indicador, vermelho de fenol, mudapara amarelo devido à persistência da formação de ácido no cilindro.
- Cilindro ácido (amarelo) e rampa ácida (amarela):
Ocorreu a fermentação da lactose e/ou da sacarose, para além da glicose. Como as duas primeiras substâncias estão presentes em altas concentrações são substratos para a atividade fermentativa contínua com manutenção da reação ácida (cor amarela) em todo o meio (rampae cilindro).
Produção de gás: Nota-se pela ocorrência de fraturas no meio de cultura.
Produção de H2S: Ocorre enegrecimento, principalmente na zona intermédia do cilindro. Isto se deve ao fato do microrganismo em estudo ser capaz de produzir sulfureto de hidrogênio (H2S), que se conjuga com um composto de ferro existente no meio, dando origem a sulfureto de ferro que, sendoinsolúvel, precipita.
- Cilindro alcalino (vermelho) e rampa alcalina (vermelha) ou inalterada (tijolo):
Não ocorreu fermentação dos hidratos de carbono presentes no meio, nem produção de gás ou de H2S. As peptonas do meio podem ser catabolizadas sob condições anaeróbias e/ou aeróbias, resultando num pH alcalino devido à produção de amônia. Se só ocorrer degradação aeróbia das peptonas, a...
tracking img