Martinelli identidade e alenação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1607 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
QUESTÃO SOCIAL

Idéia central: discutir a emergência e ampliação da “questão social” do século XIX ao XXI
Ojetivos dos autores sobre o tema:
Apreender as novas determinações da “questão social” nos marcos da consolidação do capitalismo monopolista na sociedade brasileira e da constituição do estado autocrático-burguês.

Principais autores: Marilda Iamamoto, José Paulo Neto, Martinelli,Otavio Ianni, Castels, Cerqueira Filho, Potyara, etc

Algumas Definições
Para os autores a “questão social”:
 É a manifestação do processo de formação e desenvolvimento da classe operária e de seu ingresso no cenário político da sociedade
 Iamamoto – considera relações sociais caracterizada pela CONTRADITORIEDADE = os mecanismos de dominação e as necessidades da classe trabalhadora são 2 facesda mesma moeda.

Envolve:

 forma de organização da sociedade capitalista;
 promoção do desenvolvimento das forças produtivas do trabalho social;
 expansão e aprofundamento das relações de desigualdade, a miséria e a pobreza;

 exigências do Estado e do patronato intervenções para além da caridade e repressão;

A Questão Social na história

Final do século XIX e século XX:

Ao longo do século XIX → trabalhadores europeus desenvolveram importantes estratégias de luta
 Estado burguês rendendo-se à negociações coletivas
 O capitalismo experimenta profundas modificações no seu ordenamento e na sua dinâmica econômica,

incidência na estrutura social e nas instâncias políticas das sociedades nacionais que envolviam
Como emerge a “questão social”?
 Início doséculo XX na Europa → classe dominante concentrada na expansão de seu capital
 Acompanhada de um conjunto de problemas políticos, sociais e econômicos

Assim, duas situações eram claras:
 1ª) a “questão social” estava posta no centro do palco histórico;
 2ª) o domínio de cena já não era mais do capital
Sociedade capitalista
à beira do calapso
 Economia mundial deteriorada (GrandeDepressão)

 índices de desemprego elevados ↓e
o pauperismo se generalizava

 Nova fase do capitalismo → o monopolista
 A concorrência entre capitais industriais era substituída pelos monopólios


Obedece o acréscimo dos lucros capitalistas através do controle dos mercados → o estágio emperialista.

Elementos típicos da monopolização

 1º) Fenômeno da supercapitalização: omontante de capital acumulado encontra crescentes dificuldades de valorização
 2º) Parasitismo. Deve ser tomado de dois ângulos:
 ao engendrar a oligarquia financeira e ao divorciar a propriedade da gestão dos grupos monopólios

b) uma generalizada burocratização da vida social→ largo expectro de operações que, no “setor terciário”
Intervenção do Estado
 Direcionado para garantir ossuperlucros dos monopólios → atua como um instrumento de organização da economia, operando como um administrador dos ciclos de crise


integração entre os aparatos privados dos monopólios e as instituições estatais

 Função estatal de primeira ordem → preservação e o controle contínuos da força de trabalho
Intervenção do Estado

Provoca política social pública sobre as seqüelas da “questãosocial”


de forma fragmentada e parcial → recortadas como problemáticas particulares, centrado na noção de integração social

 Assim a questão social é atacada nas suas refrações

 Decorrem fundamentalmente da capacidade de mobilização e organização da classe operária e do conjunto dos trabalhadores, a que o Estado, por vezes, responde com antecipações estratégicas.

O Público e oPrivado

 O Estado burguês no capitalismo monopolista em face da “questão social” simultaneamente corta e recupera o ideário liberal
↓ ↓
corta-o, intervindo através de políticas sociais;
e
recupera-o, debitando a continuidade das suas seqüelas aos indivíduos por elas afetados
Manifestações individuais
 Converge as refrações da “questão social” em problemas sociais...
tracking img