Marketing na crise

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2927 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MARKETING: VILÃO OU ALIADO?




Este artigo tem como finalidade a pesquisa e avaliação do impacto da atual crise econômica mundial analisando o contexto econômico brasileiro, das maneiras de como se enfrentar esta crise sem dificuldades e expor esse momento onde o mais importante são as inovações dentro da área de marketing das empresas e marcas, propondo uma nova visão mundial ecrítica sobre a crise e seus impactos.


PALAVRAS-CHAVE: Crise econômica mundial 2009, marketing, empresas e marcas.






This article is based on research of impact assessment of the current global economic crisis and analyze the Brazilian economy, the ways of how to address this crisis without problems and then explain what’s the importance of the innovations in the field ofbusiness marketing and brands, offering a new world view and critique on the crisis and its impacts.


KEYWORDS: world economic crisis in 2009, marketing, business and brands.






INTRODUÇÃO






O presente artigo trata da crise econômica mundial e as ações de marketing desenvolvidas pelas empresas e marcas no cenário econômico brasileiro. Mediante a atualconjuntura econômica, as empresas tem se posicionado de forma retroativa em relação aos investimentos na área de marketing, devido à retração do mercado, diminuição de vendas, perda de retorno, entre outras dificuldades, que fazem com que as empresas não abram espaço para inovações, não apenas o novo, mais referindo-se também ao velho, na junção do que se torna estratégias para que se preparem eprocurem diferentes. Devido a esses fatos procuramos responder se a partir desse novo cenário econômico é possível uma empresa criar, inovar e obter novas estratégias para render bons negócios, serviços, produtos ou solidificar sua marca?


Pretendemos com este artigo comparar através de estudos específicos na área de marketing, a possível reversão e superação dos problemas mediante a crise. Epara concretizar o estudo escolhemos o método dialético, pois através dele trabalharemos no contexto social, político e econômico do marketing empregado na pesquisa qualitativa em relação à crise econômica mundial.






A CRISE ECONÔMICA MUNDIAL E O MERCADO BRASILEIRO






A crise teve seu início nos Estados Unidos, e um conglomerado de fatores contribuíram para seuagravamento e lastreamento pelo mundo.


Os Estados Unidos da América com pouco mais de 300 milhões de habitantes, e possuindo um PIB de quase U$ 14 trilhões, que corresponde há aproximadamente um terço da economia mundial. Não há nenhuma dúvida que é o centro do capitalismo.


Alguns aspectos da crise iniciaram-se em meados do ano de 2001 quando o Fed. – Banco Central Americano –passou a reduzir a taxa de juros, incentivando pessoas e empresas a gastar. Com a economia aquecida, a compra de imóveis se torna atrativa, criando assim um grande mercado de hipotecas.


Grandes empresas hipotecárias incentivadas pelo mercado e também pelo governo americano, começaram a oferecer empréstimos sem nenhum mecanismo de controle, instituindo uma “segunda linha” de clientes, ochamado grupo de empréstimos SUBPRIME. Naturalmente esses créditos eram concedidos a juros mais elevados.


As financeiras começaram a partir de 2002, a repassar esses créditos SUBPRIME a bancos de investimento, que por sua vez, o transformam em grandes pacotes de investimento e os vendem no mercado financeiro, empresas do mundo inteiro em busca de lucros ‘garantidos’ compram taisinvestimentos. Cria-se um ciclo.


Com o passar do tempo o Fed. precisou a aumentar os juros, afetando o consumo e diretamente o valor dos imóveis. Os títulos hipotecários começam a perder valor, junto a isso soma se a inadimplência e o desemprego gerados pela desaceleração econômica.


Os bancos diante deste cenário iniciam uma crise de confiança mútua, isto é, não queriam mais...
tracking img