Mapeamento do fluxo de valor em uma fábrica de artefatos de concreto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2344 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR EM UMA FÁBRICA DE ARTEFATOS DE CONCRETO

Anna Karen Szpak, Franciele Bonatto e Mayara Hobold Heinen


Resumo: O mercado da construção civil, assim como os demais, busca o aumento da produtividade e qualidade de seus produtos, diminuindo custos e desperdícios. Desta forma, o mapeamento do fluxo de valor torna-se uma ferramenta importante, pois permite que aempresa identifique todo o fluxo de valor do processo produtivo, auxiliando na identificação e eliminação de desperdícios. Assim, a organização pode tomar decisões importantes em relação ao fluxo, aumentando seu desempenho. Objetivando apresentar um mapeamento de fluxos de valor em uma família de produtos de uma indústria de artefatos de concreto. O objetivo deste trabalho é verificar o potencialde aplicação da Mentalidade Enxuta, a partir do Mapeamento do Fluxo de Valor (MFV) adaptado para a construção civil, especificamente a uma família de produtos do ramo que inclui grelhas, palanques e varais em concreto.


Palavras-chave: Mentalidade Enxuta; Fluxo de Valor; Mapeamento



INTRODUÇÃO


O mercado passa por transformações que formam um novo contexto dinâmico para asorganizações e, em especial, na indústria brasileira. Seus produtos têm de competir em preço e qualidade com similares estrangeiros, vindos tanto de países com elevado nível de desenvolvimento tecnológico quanto de países onde os custos de fabricação estão num patamar bem mais baixo. Isso força a empresa brasileira a assimilar e desenvolver continuamente novas tecnologias e produtos visando a reduçãode custos, do tempo de desenvolvimento de novos produtos, das não conformidades, da manutenção e, se possível, a ampliação de mercado. (ALMEIDA, MELLO, SALGADO, SILVA, & OLIVEIRA, 2009)
O mercado da construção civil, assim como praticamente todos setores da economia mundial, têm buscado o aumento da produtividade e qualidade de seus produtos, seja com a adoção de sistemas de controle dequalidade, focados em certificação como as séries NBR/ISO 9000, ou através de sistemas de qualificação evolutiva, tais como o Sistema de Certificação do programa setorial da qualidade que garante a qualidade das habitações construídas pelo Estado (Qualihab), o (Sistema de Qualificação de Empresas de Serviços e Obra (SIQ-C) , ou mesmo através de ferramentas de otimização de processos e corte dedesperdícios, como a Mentalidade Enxuta, que é uma forma de especificar valor, alinhar na melhor sequência as ações que os criam, enfim, realizar as tarefas pertinentes de uma forma rápida e organizada, alcançando objetivos (HERNANDES; JUNGLES,2003).
A construção enxuta (CE) se refere à adaptação da filosofia da produção enxuta (PE) à construção civil, tendo como marco teórico inicial a publicação dotrabalho de Koskela (1992), bem como a criação do International Group for Lean Construction (IGLC) (BENETTI, 2010). No entanto, geralmente as mudanças no setor da construção civil são mais lentas do que na indústria da manufatura, o que é evidenciado pelo fato de uma pequena parcela do potencial de aplicação da ME ter sido explorada até hoje (PICCHI; GRANJA, 2004).
O Sistema de ProduçãoEnxuta é um dos métodos que está apresentando resultados interessantes, introduzido na Toyota a partir dos anos 40 por Taiichi Ohno, logo depois do fim da segunda guerra mundial. O objetivo mais importante do Sistema Toyota, também conhecido como Produção Enxuta, é o aumento da eficiência da produção através da eliminação consistente e completa do desperdício (BUIA; LUZ, 2004). Para Womack e Jones(1998), a palavra no alvo da produção enxuta é “desperdício”, definida como qualquer atividade que absorve recursos e não cria valor.
O executivo da Toyota, Taiichi Ohno (1912-1990), classifica o desperdício em 7 categorias: 1) produtos que não atendem às necessidades dos clientes; 2) etapas de processamento que na verdade não são necessárias; 3) erros que exigem retificação; 4) pessoas...
tracking img