Manuzinha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5573 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Capítulo 11
O pensamento pedagógico-existencialista

BOGDAN SUCHODOLSKI (1907-1992), em sua obra A pedagogia e as grandes correntes filosóficas, dividiu as manifestações pedagógicas surgidas desde a Antiguidade até nossos dias em duas grandes correntes: as pedagogias da essência e as pedagogias da existência. Na base dessa oposição estaria a controvérsia clássica entre filosofia da essência efilosofia da existência, filosofias que, partindo de concepções antropológicas opostas, determinam posicionamentos pedagógicos também distintos.
A pedagogia da essência teve início com Platão e foi desenvolvida pelo cristianismo. Platão distinguiu no homem o que pertence ao mundo das sombras (o corpo, o desejo, os sentidos, etc.) e o que pertence ao mundo das idéias (o espírito na sua formapensante). A pedagogia da essência investiga tudo o que é empírico no homem e concebe a educação como ação que desenvolve no indivíduo o que define a sua essência "verdadeira".
O cristianismo manteve, transformou e desenvolveu a concepção platônica. Realçou a oposição entre duas esferas da realidade: verdadeira e eterna por um lado, aparente e temporal por outro.
O movimento reformista protestanterecolocou a idéia de que o homem pode ser tudo, e que a individualidade é uma forma preciosa de realização da essência humana. Surgiram, então, indícios de renovação do pensamento pedagógico, inspirando-se nos direitos e nas necessidades das crianças. ]EAN-LOUIS VIVES (1492-1540), em pleno século XVI, já criou os alicerces de uma teoria psicológica do ensino.
Erguia-se, assim, uma verdadeirarevolta contra a pedagogia tradicional. Em muitos escritos, já se defendia o direito de o homem viver de acordo com suas crenças. Estava iniciado o conflito entre a pedagogia da essência e a pedagogia fundada na existência. Essa controvérsia atravessou as idéias de Rousseau, Pestalozzi e Froebel. Em resposta à pedagogia da essência, KIERKEGAARD (1813-1855), STIRNER (1806-1856) e NIETZSCHE (1844-1900),no século XIX, desenvolveram teorias ligadas à pedagogia da existência.
Para Kierkegaard, o indivíduo não se repete, sendo uma pessoa única, condenada a ser ela mesma, devendo recomeçar perpetuamente uma luta dramática, já que aspira algo de mais elevado do que ela própria. Stirner, por sua vez, atacara a pedagogia da essência, procurando mostrar que o seu erro está em impor aos indivíduos umideal ultrapassado que lhes é estranho, uma religião a serviço da sociedade e do Estado.
Nietzsche criticava as tendências democráticas do ensino e as tentativas de ligar a escola às necessidades econômicas e sociais do país. Ao analisar a genealogia da moral, ele tentava provar que o ideal e as normas morais são obra dos homens fracos.
Em resumo, a pedagogia da essência propõe um programa paralevar a criança a conhecer sistematicamente as etapas do desenvolvimento da humanidade; a pedagogia da existência, a organização e a satisfação das necessidades atuais da criança através do conhecimento e da ação.
ÉMILE DURKHEIM (1858-1917) desenvolveu a concepção positivista de educação, que buscava existencializar a pedagogia da essência. Ele criticava as concepções de educação baseadas no ideal dehomem. A educação devia se moldar às necessidades da sociedade em que está inserida. A existencialização da pedagogia da essência se desdobrou em duas vertentes da pedagogia da existência: uma priorizando as necessidades da criança e a outra as do grupo social.
A educação nova, como expressão de pedagogia moderna, veio como uma esperança para as dúvidas levantadas pela pedagogia da existência,mas introduziu novas inquietações em relação à formação social das novas gerações. É na pedagogia moderna que a contradição essência/existência se apresenta com mais nitidez. Com base nesse conflito consolidaram-se duas tendências: uma tentando ligar a pedagogia da existência ao ideal, e a outra unindo a pedagogia da essência à vida concreta.
Como veremos no último capítulo deste livro,...
tracking img