Métodos de estudo de patologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2059 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADES NORDESTE
CURSO DE ENFERMAGEM
DISCIPLINA DE PATOLOGIA HUMANA
PROFESSOR: ALEXANDRE CAVALCANTE
ALUNA: ANDREZA KELLY CARDOSO DA SILVA

Métodos de Estudo em Patologia –
ESTUDO MORFOLÓGICO, IMUNOISTOQUÍMICA, CULTURA CELULAR, CITOMETRIA, MORFOMETRIA, AUTO-RADIOGRAFIA, TÉCNICAS DE BIOLOGIA MOLECULAR

1. Estudo Morfológico


• É o estudo macro e microscópico das doenças,que constitui a forma mais tradicional de análises em patologia, tanto para análise como para diagnóstico.




• As amostras a serem analisadas podem provir de exames citológicos ou anatomopatológicos de biópsias, peças cirúrgicas e necrópsias.





1. Exames citológicos





• Importante meio de detecção de agentes infecciosos e parasitários, mas, sobretudo,para diagnóstico de neoplasias malignas e suas lesões precursoras, p. ex. exame colpocitológico para detecção precoce do câncer do colo uterino.




• O material para análise citológica pode ser: Raspados da pele ou de mucosas, secreções, líquidos, punção aspirativa





2. Exames anatomopatológicos





• Exames anatomopatológicos podem ser feitos porbiópsias, que podem ser feitas para diagnóstico e/ou tratamento.
• As biópsias podem ser ablativas ou excisionais, quando ocorre extirpação ou exérese de toda lesão; Incisionais, quando retiram apenas parte da lesão; ou ainda tipos particulares, como a endoscopia, curetagem, ultrassonografia.




• Peças cirúrgicas são provenientes de procedimentos para tratamentocirúrgico de doenças diversas, neoplásicas ou não.




• Necropsia (ou autópsia) é o exame feito pós-morte dos órgãos para determinar a causa da morte e conhecer as lesões e doenças existentes no indivíduo. A necropsia é dita completa quando todos os órgãos são dissecados e analisados detalhadamente; Parcial, quando apenas alguns órgãos são removidos.


2. Imunoistoquímica• É o método em que se utilizam anticorpos como reagentes específicos para detecção de antígenos presentes em células e organismos. O produto antígeno-anticorpo é analisado em microscópio em preparados citológicos ou em cortes histológicos.




• A imunoistoquímica também é usada para identificar elementos estranhos, como microorganismos de difícil reconhecimento, como vírus, fungos,bactérias e outros agentes infecciosos.




• Seu objetivo fundamental é o encontro e a localização topográfica de antígenos nos tecidos.


• A diferença dos outros métodos é a impossibilidade de resultados simplesmente positivos ou negativos, os resultados devem ser sempre avaliados em conjunto com os achados morfológicos.




• Um antígeno em células e tecidos podeser reconhecido por sua ligação ao anticorpo, já que cada anticorpo reconhece apenas um único antígeno, seguido de um sistema de reconhecimento dos anticorpos, por substâncias fluorescentes ou enzimáticas.


1. Imunofluorescência


• Pode ser direta ou indireta. Na direta, o anticorpo primário é ligado a um composto fluorescente. Na indireta, um anticorpo se liga ao antígenode interesse. A substância fluorescente é conjugada a um anticorpo secundário, que reconhece o anticorpo primário e liga-se a ele, formando reação específica.


• A imunofluorescência indireta é mais específica, uma vez que o anticorpo primário está livre do marcador e o sinal só aparece após duas ligações Ag-Ac, o que confere maior especificidade e melhor controle da reação.2. Técnicas Imunoenzimáticas





• São técnicas que utilizam imunoglobulinas marcadas com enzimas ao invés de substâncias fluorescentes. A enzima usada frequentemente é a peroxidase.





A imunoistoquímica pode auxiliar em diversas situações, tais como:

• Diagnóstico de tumores indiferenciados - algumas vezes o exame histopatológico não consegue...
tracking img