Lygia clark

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (476 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
LYGIA CLARK (Belo Horizonte, 31 de Outubro de 1920 - Rio de Janeiro, 25 de Abril de 1988)
Vejo a Lygia Clark como uma revolucionária, ela e outros artistas com quem trabalhou abriram novasperspectivas para a arte contemporânea brasileira e para a arte global. Tentando superar os limites entre obra e vida, rejeitou a ortodoxia do concretismo, fundou um novo movimento, experimentou a body art,adentrou a arte pluri-sensorial e, vivendo no limiar entre a psicanálise e a expressão artística, abdicou do próprio rótulo de artista, exigindo ser chamada de "propositora". Com o objetivo deestabelecer uma nova linguagem abstrata na arte brasileira fundou o neoconcretismo em 1959 junto com nomes como  Ferreira Gullar,  Reinaldo Jardim,  Theon Spanudis,  Amílcar de Castro,  Franz Weissmann e LígiaPage.
É interessante ver como nas suas primeiras pinturas, entre 1954 e 1958, mudou a natureza e o sentido do quadro. Estendeu a cor até à moldura, anulando-a ou até mesmo trazendo-a para dentro doquadro, criando obras como Superfícies Modulares e os Contra-Relevos.
No período de 1960 a 1964, surgiu com os seus Bichos:  chapas de metal com dobradiças são esculturas articuladas manipuladaspelo público. Com eles Lygia dava a entender que buscava algo: a participação do espectador no seu trabalho, por meio de objectos sensoriais (sacos plásticos, pedras, conchas, luvas entre outrosmateriais), para despertar sensações e fantasias (tal como Hélio Oiticica). Com estas obras ela queria:
“Uma integração total, existencial, é estabelecida entre ele e nós. (...) Na realidade, trata-se de umdiálogo em que o Bicho reagiu às estimulações do participante. [Portanto], esta relação entre obra e espectador – antigamente virtual – torna-se efetiva” (Clark, 2006)
A fase mais interessante équando se dá uma mudança na forma de encarar a obra resultante das suas convicções e do questionamento dos “para quês” do seu trabalho. Em 1963, com a proposição Caminhando, prossegue até à completa...
tracking img