Lutero

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3233 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SEMINÁRIO TEOLÓGICO ADONAI




DISCIPLINA: TEOLOGIA CONTEMPORÂNEA


DOCENTE: PRESBÍTERO ADEILSON


DISCENTE: LUCIANO SANTOS CARDOSO
















TEMA: MARTINHO LUTERO E A SUA TEOLOGIA




















Introdução

Considerado por muitos o maior expoente da Reforma européia, Martinho Lutero ( 1483-1546 ) é conhecido particularmente por suadoutrina da justificação somente pela fé e por sua visão fortemente Cristocêntrica da revelação. Sua “teologia da cruz” suscitou grande interesse no final do século 20. A publicação das Noventa e Cinco Teses em 31 de outubro de 1517 por Lutero costuma ser considerada o marco inicial da Reforma Protestante.

I) A influência de Lutero na história.

Foram feitas diversas tentativas deinterpretar Lutero sob o aspecto de sua influência mais tarde na história. A historiografia católica tradicional retrata um monge louco, um psicótico demoníaco derrubando os pilares da igreja mãe. Para os protestantes ortodoxos, Lutero foi o cavalheiro divino, um Moisés, um Sansão ( demolindo o templo dos filisteus! ), um Elias, até mesmo o Quinto Evangelista e o Anjo do Senhor. Para os pietistas, foi obondoso apóstolo da conversão. Os nacionalistas alemães celebravam-no como herói do povo e “pai de seu país”; os teólogos nazistas fizeram dele um proto-ariano e o precursor do “fuhrer”. Significativamente, os textos de Lutero podem ser citados em defesa de cada uma dessas caricaturas. Nenhuma delas, entretanto, considera seriamente a própria auto-compreensão de Lutero, que é onde uma avaliaçãosatisfatória de sua teologia deve começar.
Longe de tentar fundar uma nova denominação, Lutero sempre viu a si mesmo como um fiel e obediente servo da igreja. Daí seu profundo desgosto pelo fato de os primeiros protestantes, na Inglaterra e na França, assim como na Alemanha, terem sido chamados “luteranos”:

“A primeira coisa que peço é que as pessoas não façam uso de meu nome e não se chamemluteranas, mas cristãs. Que é Lutero? O ensino não é meu. Nem fui crucificado por ninguém. [...] Como eu, miserável saco fétido de larvas que sou, cheguei ao ponto em que as pessoas chamam os filhos de Cristo por meu perverso nome?

Essa renúncia, escrita em 1522, não era o protesto de uma falsa humildade, mas, sim, um real esforço de reduzir um “culto de personalidade”, já em surgimento, edirigir a atenção à fonte do pensamento do reformador. “O ensino não é meu.” Compreender o que Lutero quis dizer com essa afirmação é apreender o impulso central de sua teologia da Reforma.

II) Lutero como teólogo.

Martinho Lutero estudou na Universidade de Erfurt, dedicando-se inicialmente à faculdade de ciências antes de começar seus estudos de teologia no mosteiro agostiniano local. Foinomeado professor de estudos bíblicos na Universidade de Wittenberg em 1512 e lecionou sobre os Salmos ( 1513-1515 ),
Romanos ( 1515-1516 ), Gálatas ( 1516-1517 ) e Hebreus ( 1517-1518 ). Durante esse período, pode-se ver a teologia de Lutero se desenvolvendo em vários aspectos, especialmente em relação à doutrina da justificação. Seu contato mais próximo com textos bíblicos ao longo desses anosparece ter levado Lutero a uma insatisfação crescente com as idéias do papado a respeito dessa questão.
Lutero se expôs ao público pela primeira vez em 1517 quando publicou suas Noventa e Cinco Teses sobre as Indulgências. Esse acontecimento foi seguido do Debate de Leipzig ( junho-julho de1519 ), no qual Lutero adquiriu a reputação de crítico radical do Escolasticismo. Na obra Apelo à nobrezaCristã da Alemanha, Lutero argumentou com veemência em favor da necessidade de reformas na igreja. A igreja do início do século 16 havia se afastado do Novo Testamento tanto em sua doutrina quanto em suas práticas. A linguagem incisiva e espirituosa do reformador alemão tornou algumas idéias teológicas extremamentes sérias e atraentes para o povo em geral. Incentivado pelo sucesso extraordinário de...
tracking img