Logistica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1195 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
EM QUATRO ANOS

Palocci multiplica por 20 seu patrimônio

Publicado em 16 de maio de 2011

Compartilhamento

[pic]
O ministro Antonio Palocci explicou que a evolução de seus bens é fruto do trabalho de sua empresa de consultoria
FOTO: AG. BRASIL
Entre 2006 e 2010, o patrimônio do atual ministro da Casa Civil saltou de R$ 375 mil para R$ 7,5 milhões

São Paulo O ministro da CasaCivil, Antonio Palocci, multiplicou por 20 seu patrimônio nos quatro anos em que esteve na Câmara dos Deputados - período imediatamente posterior à passagem dele pelo Ministério da Fazenda, no governo Lula. Entre 2006 e 2010, seu patrimônio passou de R$ 375 mil para cerca de R$ 7,5 milhões.

Em 2010, Palocci comprou um apartamento de R$ 6,6 milhões; um ano antes, um escritório de R$ 882 mil. Ambos osimóveis ficam na região da avenida Paulista, área nobre de São Paulo, e foram adquiridos por meio de uma empresa da qual o ministro é sócio principal (ele tem 99,9% do capital).

Em 2006, quando se elegeu deputado federal, Palocci havia declarado à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 375 mil, em valores corrigidos pela inflação. Naquele ano, Palocci declarou à Justiça Eleitoral que tinha umacasa de R$ 56 mil em Ribeirão Preto, onde fora prefeito. Além disso, tinha um terreno e três carros, entre outros bens, num total de R$ 375 mil.

Como deputado, entre 2007 e 2010, Palocci recebeu em salários R$ 974 mil, brutos. As informações foram divulgadas ontem pela Folha de S. Paulo.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) cobrou esclarecimentos. "A notícia preocupa, e muito. Para umaumento de patrimônio em tão pouco tempo, de um homem público, exige-se explicação", disse Ophir Cavalcante, presidente da OAB.

A oposição também pediu explicações. O PPS prometeu acionar o Conselho de Ética da Câmara para apurar a conduta do ex-parlamentar. O PSDB solicitou que o chefe da Casa Civil preste esclarecimentos à sociedade. Já o Democratas instou a Receita Federal a se pronunciar sobre ocaso. "É melhor o ministro esclarecer qual a renda da sua empresa, quais os serviços prestados e qual o lucro que obteve com ela. Como homem público, não tem razão para não dar explicações", disse o presidente do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE).

Já o senador José Agripino Maia (DEM-RN) afirmou que "a Receita deve se pronunciar a respeito". "Palocci precisa explicar a origem dessedinheiro", afirmou Rubens Bueno, líder da bancada do PPS na Câmara.

Explicações

Ontem, Antonio Palocci enviou uma nota à imprensa sobre a evolução de patrimônio nos últimos anos. O ministro-chefe da Casa Civil diz que sua evolução patrimonial é fruto dos trabalhos de consultoria econômica e financeira de sua empresa, Projeto, aberta em 2006.

"A Projeto prestou serviços para clientes dainiciativa privada tendo recolhido sobre a remuneração todos os tributos devidos. O patrimônio auferido pela empresa foi fruto desta atividade e compatível com as receitas realizadas nos anos de exercício", diz a nota em nome do ministro-chefe da Casa Civil.

A empresa de consultoria encerrou suas atividades no final do ano passado, quando Antonio Palocci assumiu a Casa Civil do governo Dilma, emudou seu objeto social. Hoje, segundo a nota, "a empresa passou ter como única finalidade a administração de seus dois imóveis em São Paulo".

APRESENTAÇÃO

Os escândalos políticos têm contribuído para colocar a ética na ordem do dia e estão expondo a conexão direta entre corrupção pública e privada. Se não existe financiamento público de campanha, é lógico que há um caixa dois privado bancandotudo isso. E este é sempre fruto de sonegação, venda por fora, sem nota e ilegal. Então, com a simples compra de um CD, estamos sustentando esse caixa dois privado que financia o repudiado caixa dois público. Se o cenário não mudar, o crime organizado acabará tendo muita influência na eleição ou reeleição de políticos, prefeitos, deputados, ministros ou mesmo juízes. Felizmente, a sociedade está...
tracking img