Logistica regiao norte

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1589 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS – UEMG

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS – FUNEDI

Instituto Superior de Educação e Pesquisa – INESP

INFLUENCIA DO RELEVO E TRANSPORTE NA REGIÃO NORTE

Integrantes:

Divinópolis

Setembro 2011

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS – UEMG

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS – FUNEDI

Instituto Superior de Educação e Pesquisa –INESP

TÓPICOS ESPECIAIS EM LOGÍSTICA

Trabalho apresentado à professora Sara responsável pela disciplina Tópicos Especiais em Logística, do 8º período de Engenharia de Produção noturno, para obtenção parcial de crédito.

FUNEDI – INESP

Divinópolis

1. INTRODUÇÃO

A economia brasileira é uma das que mais tem crescido no mundo. Deacordo com a Goldman Sachs, a economia brasileira deve se tornar a quarta maior do mundo por volta de 2050. Visando alcançar essa possibilidade o Governo Federal vem investindo muito no setor de transporte do Norte do Brasil, uma constatação anunciada em Brasília, através de estudo do Projeto Norte Competitivo feito pela consultoria Macro logística que alertou as autoridades políticas dos Estadosque compõem a Região sobre a necessidade de investimentos prioritários em infraestrutura para alavancar o setor industrial da região Norte.

Contudo vamos analisar como o Transporte e o Relevo podem influenciar diretamente no processo de desenvolvimento e competitividade da Região.

Mapa dos estados que compões a Região Norte (imagem 1):

[pic]

2. OBJETIVOObjetivo demonstrar as ações que estão sendo executadas pelo Governo Federal e demais órgão competentes para aumentar a competitividade das empresas da Região Norte do Brasil e abrir espaço para novas entrantes no mercado, promovendo a industrialização dos estados do Acre, Roraima, Amazonas, Rondônia, Amapá, Pará e Tocantins.

3. DESENVOLVIMENTO

A região Norte é a maior emextensão territorial porem possui o menor índice de contribuição para o Produto Interno bruto (PIB) conforme pode ser observado na tabela abaixo:

[pic]

A peça fundamental para acelerar o desenvolvimento desta é a melhoria do sistema de transportes, tanto para a chegada de matéria prima quanto para o escoamento da produção. Porém para que as medidas adotadas sejam eficazes, faz-senecessário o conhecimento pleno do relevo da região.

3.1 Relevo

Observar o relevo e as possibilidades de transportes é algumas das principais variáveis nesse processo que com certeza vai influenciar no preço final de venda.

É imprescindível não falar do relevo da região norte, apresenta basicamente três unidades: planície, planalto e depressão. Em todo território sãoidentificadas diversas altitudes, no entanto, grande parte da região é constituída por uma topografia plana. Esse aspecto interfere na configuração da hidrografia, pois os rios escoam suas águas de forma serena e lenta, tornando-os viáveis para a navegação.

Planícies e Terras Baixas Amazônicas

São genericamente chamadas de Planície Amazônica, porém, a verdadeira planície aparece apenasna margem do rio Amazonas ou em pequenos trechos, no meio de áreas mais elevadas.
Essa parte do relevo brasileiro divide-se em:
-Igapós: São as partes mais baixas constantemente inundadas por cheias do rio Amazonas
-Tesos ou Terraços fluviais (Várzeas): São áreas com altitudes sempre inferiores a 30 metros, sendo inundados por fortes cheias
-Terra firme: É constituída basicamente porarenitos e atinge altitudes de até 350 metros

Planalto das Guianas

Localiza-se no norte da Planície Amazônica e é constituído por terrenos cristalinos. Prolonga-se até as Guianas e a Venezuela, na área de fronteira entre o Brasil e esses países aparece à região serrana, constituída (de oeste para leste) pelas serras do Imeri, Parima, Pacaraíma, Acaraí e Tumucumaque.
É na...
tracking img