Livro de judas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1335 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho sobre o livro de Judas

Introdução

Esta carta foi escrita aos cristãos em geral para preveni-los contra falsos mestres que estavam espalhando doutrinas e idéias erradas nas Igrejas dos primeiros séculos. Os que seguissem seus passos receberiam o justo castigo e juízo de Deus.
Nos versos 4 ao16 da carta de Judas é feita uma introdução e uma seqüência de alertas para a Igreja sobre apresença desses falsos mestres e a respeito de suas doutrinas e conduta imoral. Estes estavam infiltrados em meio aos cristãos destruindo a paz, a comunhão e a verdadeira sã doutrina de Cristo que havia sido ensinada pelos apóstolos.

Livro de Judas do verso 4 ao verso 16.
Identificar as características dos falsos mestres e disser o que entendemos acerca desses falsos ensinos.

Judas 4-16( Versão Bíblia Viva)

4 Porque se introduziram furtivamente certos homens, que já desde há muito estavam destinados para este juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de nosso Deus, e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.
5 Ora, quero lembrar-vos, se bem que já de uma vez para sempre soubestes tudo isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra doEgito, destruiu depois os que não creram;
6 aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia,
7 assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogoeterno.
8 Contudo, semelhantemente também estes falsos mestres, sonhando, contaminam a sua carne, rejeitam toda autoridade e blasfemam das dignidades.
9 Mas quando o arcanjo Miguel, discutindo com o Diabo, disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar contra ele juízo de maldição, mas disse: O Senhor te repreenda
10 Estes, porém, blasfemam de tudo o que não entendem; e, naquilo quecompreendem de modo natural, como os seres irracionais, mesmo nisso se corrompem.
11 Ai deles! porque foram pelo caminho de Caim, e por amor do lucro se atiraram ao erro de Balaão, e pereceram na rebelião de Coré.
12 Estes são os escolhidos em vossos ágapes, quando se banqueteiam convosco, pastores que se apascentam a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos; são árvores semfolhas nem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas;
13 ondas furiosas do mar, espumando as suas próprias torpezas, estrelas errantes, para as quais tem sido reservado para sempre o negrume das trevas.
14 Para estes também profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que veio o Senhor com os seus milhares de santos,
15 para executar juízo sobre todos e convencer a todos os ímpios detodas as obras de impiedade, que impiamente cometeram, e de todas as duras palavras que ímpios pecadores contra ele proferiram.
16 Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas concupiscências; e a sua boca diz coisas muito arrogantes, adulando pessoas por causa do interesse.
Verso 4
No verso 4 existem duas atitudes que esses falsos mestres praticavam:A primeira era a dissolução da graça ou libertinagem e a segunda atitude era o negar a soberania de nosso Senhor Jesus Cristo.
Eram pessoas ímpias que não tinham senso de respeito e usavam da graça e da bondade do nosso Deus comopretexto para uma vida desenfreada corrompendo os costumes da sã doutrina de Cristo e tomando da liberdade para ultrapassar limites, ensinando erroneamente e fazendo o que bem entendiam.

Verso 8
Estes homens eram sonhadores alucinados que contaminavam a carne, rejeitavam toda forma de governo e difamavam as autoridades superiores.
Alegavam serem profetas (mas não tinham o Espírito v.19),...
tracking img