Litoral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1966 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Ministério do Meio Ambiente

EROSÃO E PROGRADAÇÃO DO LITORAL BRASILEIRO
1

organização

Dieter Muehe

2006

Presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva

Ministra do Meio Ambiente
Marina Silva

Secretário de Qualidade Ambiental
Victor Zular Zveibil

Diretor do Programa de Gerenciamento Ambiental Territorial
Rudolf de Noronha

Gerente do Projeto de Gestão Integrada dosAmbientes Costeiro e Marinho
Ademilson Zamboni

Catalogação na Fonte
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis
E68

Erosão e progradação no litoral brasileiro / Dieter Muehe, organizador. – Brasília: MMA,
2006.
476 p. : il. color. ; A4 21x29,7cm
Bibliografia
ISBN 85-7738-028-9
1. Orla marinha. 2. Erosão marinha. 3. Qualidade ambiental. 4. Conservação danatureza. I. Muehe, Dieter. II. Ministério do Meio Ambiente. III. Secretaria de Qualidade
Ambiental nos Assentamentos Humanos. IV. Título.
CDU (2.ed.) 504.06 (81:210.5)

Coordenador Geral
Dieter Muehe
Projeto gráfico
Francine Sakata
Fábio Namiki

PGGM

Programa de Geologia e Geofísica Marinha

SECIRM
Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar

Ministério doMeio Ambiente (MMA)
Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA)
Programa de Gerenciamento Ambiental Territorial (PGT)
Projeto de Gestão Integrada dos Ambientes Costeiro e Marinho (GERCOM)
Esplanada dos Ministérios, Bloco B, Sala 835
70068-900 – Brasília, DF
Tel: (61) 4009-1160 Fax: (61) 4009-1766
www.mma.gov.br / gerco@mma.gov.br

A edição do livro Erosão e Progradação do Litoral Brasileiro,idealizado e coordenado pelo
professor Dieter Muehe, é um marco para a Geomorfologia e a Geologia no Brasil. Pela
primeira vez um estudo sistemático de toda a costa brasileira mobilizou conceituados
geógrafos, geólogos e oceanógrafos dos mais importantes centros de ensino e pesquisa,
para a elaboração de um diagnóstico da linha de costa desde a foz do rio Oiapoque até a
desembocadura doarroio Chuí no oceano Atlântico.
Além de seu valor acadêmico, que possibilitou o aprofundamento de pesquisas por todo o
litoral, este trabalho é relevante instrumento para os gestores públicos e para os tomadores
de decisão, nas questões que envolvam o desenvolvimento urbano nas zonas costeiras, o
ordenamento das atividades produtivas e a preservação e conservação dos biomas naturais.
Em umcenário de acirradas disputas pelo espaço, onde a preservação de restingas, mangues, falésias e dos oceanos se confronta com o crescimento desordenado das cidades e
com o desenvolvimento do turismo e da aqüicultura como atividades econômicas relevantes, a natureza se impõe. Processos geomorfológicos naturais são acelerados pela ação
antrópica na costa, resultando em um cenário extremamente dinâmico,estudado em
detalhes ao longo dos capítulos desta publicação.
O Ministério do Meio Ambiente, em sua agenda de gerenciamento dos ambientes costeiro
e marinho, privilegia e incentiva iniciativas como esta, que desenvolvem a pesquisa científica, instrumentalizam os governos e municiam os empreendedores para o planejamento
e a gestão, colaborando para o desenvolvimento sustentável da zona costeirabrasileira.
Para a Secretaria Nacional de Qualidade Ambiental, este trabalho identifica-se com outras importantes iniciativas coordenadas por seu corpo técnico, que visam descrever,
diagnosticar e compreender o contexto costeiro e oceânico brasileiro, tais como o
Macrodiagnóstico da Zona Costeira, o Programa REVIZEE (Avaliação do Potencial Sustentável de Recursos Vivos nas Zona EconômicaExclusiva) e o Projeto de Gestão Integrada da
Orla Marítima que, entre outros, evidenciam a prioridade do ambiente costeiro nas políticas públicas ambientais do Governo Federal.

Rudolf de Noronha
Diretor de Gestão Territorial
Secretaria de Qualidade Ambiental
Ministério do Meio Ambiente

apresentação

A percepção de que o litoral é um ambiente sujeito a mudanças se estabelece à
medida...
tracking img