Literatura afriacana

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (804 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
a) No texto 1, o poeta fala sobre a inocência de ser uma criança, que acredita em heróis e tem uma visão destorcida do que é ser um homem e não sabe sobre sentimentos humanos. Já em outra fase opoeta retrata o adolescente no começo do entendimento da vida, do ser, que começa a questionar suas crenças. E no presente, fala do como é ser um homem, é ter sentimentos, é chorar, é lutar. Craveirinhademonstra ter nervos, sentimentos. Um ser humano no pleno gozo da vida e suas aventuras e desventuras.
No Texto 2 o autor faz crítica diante da forma como o mundo é feito e mostra o sentimento dohomem diante do machismo e capitalismo da sociedade que determina que homem deve ser duro, forte, não chorar, em fim ser feliz de forma metódica. A letra retrata o pensamento de um homem comum, um serhumano que é um pai de família que só se sente honrado com um bom emprego, como tantos outros.

b) O texto 3 fala das contínuas mudanças sociais sofridas pelos países africanos e da necessidade deuma relação de um indivíduo e uma sociedade. Fala do amor do eu lírico por uma mulher. Forte apelo social. Violência sofrida pelo povo africano em geral.
No texto 4, Bandeira colocou em um poema deversos livres, sem rimas nem estrofes, o seu espanto na realidade de condição desumana do homem que depende do lixo e que está abaixo do rato. E o texto 5 também fala da dor de ser mais um ser humanomarginalizado à sociedade desde criança. Vendo e vivendo os mais terríveis momentos de estar às margens. Sendo assim, é nítida a semelhança do tema entre os três textos. Fome, miséria, desperdício eexploração! Todos nós sabemos que tanto a colonização do Brasil, como da África foi centrada em interesses nesses temas. E passados tantos anos, o nosso país continua sendo conhecido como o país dodesperdício onde milhares de pessoas ainda morrem, todos os dias, com a dor da fome. E com a fome não dá para se acostumar não. A fome mata antes que nos acostumemos com ela, isto não é nenhuma fábula...
tracking img