Linguagens

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6508 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Johann Heinrich Pestalozzi (1746-1827):
“Cartas sobre a educação infantil”


Angela Mara de Barros Lara[1]


Este texto tem como tema a educação das crianças no século dezoito e, para delimitá-lo, foi escolhido um teórico de relevância fundamental para a educação de todos os tempos, bem como a sua contribuição para a educação infantil, Johann Heinrich Pestalozzi. O objetivo maisamplo a ser considerado é tratar a proposta de educação infantil pensada por ele, tendo como base a experiência. Para tanto, faz-se necessário definir a perspectiva histórica como proposta teórico-metodológica que subsidiará esta análise, esta nos proporcionará uma leitura nas múltiplas determinações econômicas, políticas e sociais daquela época.
A questão que mobilizou este texto foi: qual aproposta de educação infantil que Pestalozzi propõe no século dezoito? A sua pedagogia foi criadora da escola popular em seu espírito social. Colocou a família como núcleo primordial que possibilitou a criação das demais instituições sociais, mas a educação das crianças não pode depender apenas dela, necessita da escola para tanto.
Cabe aqui ressaltar como serão desenvolvidas as unidadesno texto: no primeiro momento, destaca o Iluminismo, a vida de obra do autor; num segundo momento, salienta o seu pensamento pedagógico e suas idéias sobre a educação e, no terceiro momento apresenta sua obra “Cartas sobre educación infantil”. A escolha de uma obra para discussão no texto foi pensada, tendo em vista que este texto não é de fácil acesso aqueles que trabalham com crianças de 0 a 6anos. E esta seria uma oportunidade para divulgar a obra, bem como as idéias educacionais do filósofo.

O Iluminismo, sua vida e sua obra

A perspectiva desta apresentação terá como eixo o Iluminismo, pois este é o momento em que as questões filosóficas e, não apenas estas estão se constituindo, fazendo deste momento histórico um dos mais significativos da humanidade. Isto se fará apartir do pensamento dos seguintes autores: Manacorda (1995), Cambi (1999), Luzuriaga (2001), Kreimendahl (2004) e Palmer (2005).
Reconhecer no Iluminismo[2] os princípios e fundamentos da obra de Pestalozzi é fundamental, pois é a partir destes que se discute a questão da infância na perspectiva do filósofo. Faz-se necessário tratar desta, tendo em vista que a concepção de infância como umperíodo distinto da vida adulta tem raízes no período aqui determinado entre os séculos XVII e XVIII.


O século XVIII liga-se ao XVII de maneira muito forte, a ponto de se poder falar de capítulo seqüencial na história da filosofia, ao qual se poderia dar o título de era da razão e que poderia ser distinguido do Iluminismo do século XVIII pela entrada de idéias e posicionamentoscaracterísticos do Racionalismo, bem como por sua aplicação em aspectos de relevantes problemas sociais por parte do público culto. [...] (KREIMENDAHL, 2004, p. 25).

A discussão básica do Iluminismo busca a compreensão da autonomia do sujeito. O Eu supera os laços da tradição por meio de um ato libertador e é restituído de seu direito original. Como salienta Kreimendahl (2004), o centro deinteresse é o ser humano. Do meio antropológico existe a melhor possibilidade de compreender o século dezoito como um todo e, o movimento iluminista, em especial.


A racionalização de toda a prática da vida é o meio de o Iluminismo atingir seu objetivo principal, qual seja, a entronização do sujeito racional e autônomo. Este programa funda-se na aceitação de que a realidadeapresenta uma ordem racional e que a razão - e somente ela - tem a capacidade de perceber essa ordem que, quando perseguida, proporciona o progresso e possibilita ao ser humano atingir a felicidade na medida do possível [...] (KREIMENDAHL, 2004, p. 30).
Segundo Luzuriaga (2001), é preciso salientar três aspectos do século dezoito: Filosoficamente, é "o Século das Luzes", "da Ilustração", da...
tracking img