Licenciado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3266 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPITULO I

1. INTRODUÇÃO DO TRABALHO



















Capítulo I

1.1.INTRODUÇÃO

O mundo encontra-se perplexo com o agravamento da crise financeira e económica global, que vem provocando desconfiança e turbulências nos mercados mundiais. As crescentes intervenções na economia pelos governos dos países mais desenvolvidos, liderados pelos Estados Unidos (EUA),União Europeia e Japão, numa acção concertada, aportando enormes volumes de recursos em bancos privados e no segmento industrial, revelam a dimensão da crise que está afectando a economia mundial.
Constata-se que actualmente diversos bancos centrais no mundo, com destaque para o Federal Reserve dos EUA e o Banco Central Europeu, estão colocando em prática medidas económicas de intervençãona economia - que contrariam frontalmente a visão neoliberal - para evitar o colapso do sistema financeiro internacional. A estatização das duas maiores casas hipotecárias – Fannie Mae e Fred Mac - e a injecção de US$ 200 bilhões nas mesmas, e os elevados aportes de recursos para o sector automobilístico, entre outras, confirmam essa tendência. Na Europa diversos bancos foram estatizados, como osbritânicos Northern Rock e o Bradford & Bingley, e o Fortis, nos países baixos, além dos empréstimos elevados para salvar bancos em dificuldades, como o alemão Hypo Real Estate.
Os indicadores económicos e sociais divulgados no final de 2008 e no primeiro semestre de 2009, por diferentes instituições (OCDE, FMI, Banco Mundial, IBGE) revelam que quase todos os países estão sentindo osefeitos da actual crise financeira e económica mundial, especialmente na deterioração do mercado de trabalho, apesar dos esforços feitos pelos governos para amenizar a desaceleração das suas economias. As projecções mais recentes feitas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI, Abril 2009), por exemplo, sinalizam que o crescimento mundial será negativo em 2009. O crescimento da economia mundial, com basenas projecções recentes dos organismos
Capítulo I

multilaterais, dependerá fortemente da capacidade dos governantes de promover a recuperação das suas respectivas economias, nos próximos anos. Sabe-se, de antemão, que esta não é uma tarefa fácil
Portanto, este trabalho comporta 2 capítulos. Sendo:

No primeiro capítulo, aborda-se a introdução e os seus sub-pontos onde procuramosdescortina-los.


No segundo capítulo, aborda-se a crise na sua generalidade, a divida mundial, o impacto da divida e a capacidade de intervenção dos governos na resolução da crise mundial. Onde, Sobretudo, não deixamos de fazer menção a conclusão do trabalho e sua bibliografia.




1.2 – IMPORTÂNCIA DO ESTUDO.

-Permitiu-nos acima de tudo fortalecer nossa ideia.

-Deu-nos umavisão sobre a realidade da mesma

1.3 – OBJECTIVOS.

1.3.1 – OBJECTIVOS GERAIS.

a) Apresentar e discutir os aspectos relacionados com a temática.




1.3.2 – OBJECTIVOS ESPECIFICOS.

a) Análise de aspectos relacionados com a divida da crise mundial e o impacto que a mesma originou.

b) Analisar a sua importância e desenvolver com as suas capacidades, a fim de podermoscontribuir com acções conjuntas.

Capítulo I

1.4 – LIMITAÇÃO E DELIMITAÇÃO DO ESTUDO.

- Limitamo-nos, sobretudo, nos aspectos teóricos bem como ter uma visão ampla da realidade pratica da mesma.

-Limitamo-nos ainda na consolidação de dados sobre outras variáveis de âmbito comum.

1.5 – ENQUADRAMENTO METODOLÓGICO.

Para a realização do presente, exploramos o método daentrevista e da pesquisa documental.





































































CAPITULO II

2. IMPACTO DA DÍVIDA DA CRISE MUNDIAL




















Capítulo II

2.1. CRISE MUNDIAL

O actual cenário económico mundial vem sendo visto como um dos mais agravantes desde a grande...
tracking img