Licenciado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1019 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Souza, Tiago Toratti de 1º História.
Indicação Bibliográfica.

CARDOSO, Ciro Flamarion, “Introdução – “História e Paradigmas Rivais”.

Resenha.

INTRODUÇÃO

CARDOSO, Ciro Flamarion através da introdução da obra História e Paradigmas Rivais, vêm nos mostrar sua posição sobre dois paradigmas, chamados de “Iluministas e pós-moderno”, e nos leva através do entendimento desses doisparadigmas a uma reflexão de que o mundo continua em processo de mudança ideológica, principalmente no que se diz respeito ao conceito de civilização e cultura, alternando com isso sua historiografia, e isso nos remonta a uma possibilidade de surgimento de novos paradigmas para explicações futuras.

O autor inicia seu desenvolvimento textual primeiramente trazendo um comparativo de duasvertentes, a Alemã e a francesa, no qual as civilizações se diferem no processo civilizatório e cultural, enquanto a Francesa foi caracterizada pela urbanização, escrita e desenvolvimento da ciência, a Alemã se deu através de sociedades individuais, principalmente tribais e rurais com um processo mais lento comparado com a francesa urbanizada.



DESENVOLVIMENTO.

Segundo o autor, vivemosuma crise de civilização, conceito este, se deu possivelmente após o surgimento do termo “cultura” que foi empregado por filósofos alemães e franceses no inicio no século XVIII.

Entre as vertentes francesas e alemãs, havia uma divergência conceitual explicativa; Na vertente francesa, o termo cultura é visto de uma forma mais evolucionista, caracterizadas pela urbanização, escrita,desenvolvimento da ciência e principalmente pela divisão social do trabalho e o surgimento do “Estado”.

Na vertente alemã que posteriormente de fato prevaleceu sobre a vertente francesa segundo o autor, o termo cultura foi difundido lentamente, de formas tribais e rurais tomando constantemente os hábitos dos povos e mudando gradativamente seu modo de vida, contribuindo assim para o surgimento deum novo conceito chamado de “Nova História”. Termo este, que não se preocupa com a sociedade como um todo, mas sim tenta entender a sociedade especificamente dentro de cada uma delas.

Sendo assim, no desenrolar do texto o autor tentará enfatizar, e mapear o estado atual a disciplina histórica, tomando como base dois paradigmas primordiais chamados de ”Iluminista” e “pós-moderno”.Conhecido como o paradigma da razão o iluminista ou “moderno”, teve forte influencia do marxismo e da escola dos Annales. Esse paradigma tomava como forma de construção do conhecimento no mínimo o conceito hipotético ou hipotético dedutivo e colocava a história como problema para formulação do entendimento.

Sua influencia marxista trouxe para esse paradigma uma forma analítica, e aprática do marxismo constitui num conhecimento realista e de verdade cientifica baseada na esfera estritamente humana interligadas entre presente e passado, focado no evolucionismo multilinear e numa sociedade definida como mutável.

O Marxismo diz que a sociedade e a natureza se resolvem com o desenvolvimento das forças produtivas e os modos de produção e principalmente com as lutas sociaisdeterminadas em seus momentos específicos.

Quanto a influencia da escola dos Annales, que era um paradigma puramente teórico; Somente abriria novos horizontes e proporcionaria a possibilidade de uma nova maneira se pensar, isso era explicado, pois o surgimento do Annales vem basicamente de influências ocultas do próprio marxismo, tendo somente uma grande discordância, que é a pouca inclinaçãoteórica da Annales sobre a teoria de mudança social.

Com essas influências o paradigma “Iluminista” em seu caráter amplo e principalmente político, estava inserido num grande contexto de racionalismo moderno em favor de outros que são semi-racionalistas, influenciados pelo marxismo e Annales que não se preocupavam com o individuo e sim com a obsessão estrutural e com o poder, e suas...
tracking img