Levantamento de culicideos em criadouros artificiais nos cemitérios públicos da ilha de santa catarina

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 36 (8899 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Patricia Oening Machado

LEVANTAMENTO DE CULICIDEOS EM CRIADOUROS ARTIFICIAIS NOS CEMITÉRIOS PÚBLICOS DA ILHA DE SANTA CATARINA

Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do título de bacharel e licenciado em Ciências Biológicas na Universidade Federal de Santa Catarina.
Orientador: Prof. Dr. Carlos José de Carvalho Pinto

Florianópolis
2012

Patricia Oening Machado

LEVANTAMENTODE CULICIDEOS EM CRIADOUROS ARTIFICIAIS NOSCEMITÉRIOS PÚBLICOS DA ILHA DE SANTA CATARINA



Este Trabalho de Conclusão de Curso foi julgado adequado para obtenção do Título de Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas, e aprovado em sua forma final pelo Programa.

Florianópolis, 21 de dezembro de 2012.

________________________
Profa. Dra. Maria Risoleta Freire Marques
Coordenador doCurso

Banca Examinadora:

________________________
Prof.o, Dr.o Carlos José de Carvalho Pinto
Orientador
Universidade Federal de Santa Catarina

________________________
Prof.o, Dr.o Carlos Brisola Marcondes
Universidade Federal de Santa Catarina

________________________
Profo Dro. Luiz Carlos de Pinho
Universidade Federal de Santa Catarina

A mulher de olhos verdes d’água.AGRADECIMENTOS

Agradeço ao Carlos, meu orientador e amigo, por todas as parcerias em campo, por ter me ensinado com toda a paciência a identificar os culicídeos, ter me disponibilizado tempo incalculável, enfim, por ser acima de tudo professor.

RESUMO

Algumas espécies de mosquitos têm utilizado ambientes antrópicos como criadouros artificiais, como os cemitérios. Esses ambientes possuemgrande quantidade de vasos de flores e caixas de velas que podem acumular água. A fim de verificar a fauna de culicídeos presentes nos criadouros artificiais da Ilha de Santa Catarina, realizaram-se visitas aos seus onze cemitérios públicos, para coleta de larvas. Essas larvas foram posteriormente criadas e identificadas no Laboratório de Hematozoários da UFSC. As espécies coletadas foramOchlerotatus argyrothorax, Aedes terrens, Stegomyia albopicta, Aedes fluviatilis e Culex quinquefasciatus. As espécies que tiveram maior prevalência nos criadouros artificiais nos cemitérios foram Oc. argyrothorax e St. albopictus. As larvas de St. albopicta foram encontradas coabitando criadouros com três outras espécies, Oc. argyrothorax, Ae. fluviatilis e Ae. terrens. Observamos também que a maioriados cemitérios tem problemas de manutenção dos túmulos, o que aumenta a oferta de criadouros para os mosquitos. Considerando que na Ilha de Santa Catarina se faz um controle preventivo do St. aegypti e que este mosquito frequentemente entra na Ilha de Santa Catarina, a falta de manutenção observada e a existência de criadouros de mosquitos em cemitérios é um fator preocupante no controle dessaespécie.

Palavras-chave: culicídeos, criadouros artificiais, cemitérios.

LISTA DE FIGURAS

Figura 1. Localização dos cemitérios na Ilha de Santa Catarina 28
Figura 2. Amostras de larvas identificadas para criação dos adultos em laboratório. 29
Figura 3. Cemitério São Francisco de Assis ou cemitério do Itacorubi. 33
Figura 4. Vista local do cemitério de Ingleses, dois criadourosartificiais no mesmo, e vista superior. 34
Figura 5. Coleta de larvas em recipiente de flores no cemitério de Jurerê, três criadouros artificiais e vista superior do mesmo. 35
Figura 6. Cemitério de Ratones, vista local e superior. 36
Figura 7. Vista superior do cemitério da lagoa da Conceição. 37
Figura 8. Vista superior cemitério Santo Antônio de Lisboa. 38
Figura 9. Cemitério do Rio Vermelho,vista local e superior. 38
Figura 10. Cemitério Campeche, vista local e superior (seta). 39
Figura 11. Cemitério Ribeirão da Ilha, vista local dos túmulos, dos vasos e lixos acumulados e vista superior. 40
Figura 12. Cemitério do Pântano do Sul, vista local e superior (seta). 41
Figura 13. Cemitério da Armação, vista local e superior. 41

LISTA DE TABELAS

Tabela 1. Espécies de...
tracking img