Leitura e escrita numa abordagem cognitiva

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1388 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FICHAMENTO DO TEXTO LEITURA E ESCRITA NUMA ABORDAGEM COGNITIVA.
OÑATIVIA, Ana Cecília. Alfabetização em três propostas. Da teoria à prática. Parte III, capítulo 8.

Este texto tem como objetivo desenvolver uma série de propostas de atividades práticas que servirão como recurso de apoio significativo e pertinente, tanto para o período de aquisição da leitura e da escrita como paraauxiliar aqueles alunos que já passaram pelo processo de alfabetização, mas sem muito sucesso.
As propostas de atividades indicadas são resultado de experiências vivenciadas com alunos que manifestaram dificuldades específicas nesse aspecto da linguagem, outras adaptadas, com base na bibliografia consultada e outras foram elaboradas a partir do entendimento da proposta teórica.
Assugestões apresentadas estão sustentadas numa base teórica cujo referencial é a abordagem cognitiva. Numa perspectiva histórica o texto mostra a psicologia cognitiva começou a emergir em 1956, período que coincide com o nascimento da inteligência artificial (disciplina da ciência cognitiva cujas pesquisas desenvolvem programas de computador que tentam imitar atividades da mente e do corpo humano.A abordagem de processamento de informação considera a atividade mental como o reflexo de um fluxo de informações que representa os processos do nosso comportamento. E por tanto para entender como se aplica ao processamento da leitura e da escrita faz-se necessário entender a constituição do sistema alfabético de escrita.
Foram necessários aproximadamente três mil anos para queo homem chegasse ao alfabeto constituído de 26 letras. Foi criada em resposta ao anseio de registrar a fala, perpetuando-a.
A criança utiliza inicialmente sistemas gráficos de representação( pictórica ligada ao desenho), passa por um estágio em que, mesmo utilizando as letras do código alfabético, a representação está ligada ao conceito que deseja representar, e por fim inicia arepresentação da fala, primeiro num sistema silábico, depois alfabético e, por último, ortográfico.
Existem basicamente três sistemas de escrita: o logográfico representam palavras que aludem diretamente à ideia do que se quer expressar (fase pictórica); o silábico, que representa segmentos fonológicos ( as sílabas); e o alfabético, representa unidades fonológicas menores( os fonemas).
Aabordagem cognitiva procura compreender como funcionam os processos cognitivos implicados na transformação grafema-fonema.
Uma das habilidades necessárias para a leitura e a escrita consiste na capacidade de analisar e sistematizar as partes constituintes da língua, isto é os fonemas, as sílabas e as palavras. Essa capacidade peculiar foi estudada por diversos linguistas e é identificada comoconsciência fonológica.
Esta consciência fonológica implica uma competência metalinguística capaz de analisar diferentes níveis da linguagem: segmentar as frases em palavras, as palavras em aliterações e rimas ou em sílabas e as sílabas em fonemas.
Capovilla e Capovilla(2000) apresentam estudos experimentais rigorosamente controlados em que se demonstram que tanto a idade como aescolaridade influenciam no desenvolvimento da consciência fonológica.
De acordo com Frith(1985, apud Capovilla e Capovilla, 2000), existem três estratégias básicas para lidar com a palavra escrita, que evoluem à medida que a criança passa pelo processo de alfabetização.
Primeira estratégia, a logográfica, é utilizada na fase de mesmo nome. O reconhecimento das palavras ocorre de formaglobal, como um todo e identificada segundo pistas contextuais: cor, formato, e às vezes até uma letra inicial que é familiar para a criança. Na ausências de tais pistas a palavra não é reconhecida.
Estratégia fonológica, implica analisar as palavras em seus componentes (silabas, letras e fonemas). Nesse período, a criança realiza a correspondência entre grafia (letra) e som (fonema). O...
tracking img