Lei de responsabilidade fiscal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2691 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
DISCIPLINA DE ECONOMIA BRASILEIRA - DEPENDÊNCIA
PROF. ANTONIO G. DE ASSUMPÇÃO/JAIME G. TRINTIN
ACADÊMICO (A): Ana Cristina da Silva
RA 63 652 P OLO: Umuarama TURMA: B

ECONOMIA BRASILEIRA – DEPENDÊNCIA

- APONTE AS QUESTÕES FALSAS E VERDADEIRAS

1 – O comportamento da política econômica e da economia brasileira em finais doséculo XIX apresentavam as seguintes principais características:
a) Expansão do trabalho assalariado, impulsionado pela imigração européia e
abolição da escravidão;(V)
b) A política monetária implantada por Rui Barbosa foi extremamente austera
(contracionista), tendo por base a contração de emissões bancárias lastreadas em
ouro;(V)
c) Com a difusão do trabalho assalariado, cresceu o grau demonetização e a
demanda por moeda na economia, provocando uma elevação da inflação no
período;(V)
d) A estagnação da produção cafeeira em função da queda dos preços do café no
mercado externo e da forte concorrência internacional.(F)
2 - O acordo e Taubaté, em 1906, estabeleceu as bases para o desenvolvimento do setor
cafeeiro no Brasil, porque:
a) Criou um plano de valorização paraaumentar o fluxo de mão-de-obra
imigrante, a fim de viabilizar a expansão da produção;(F)
b) Abriu uma linha de financiamento para aquisição de terras, investimento em
melhorias das propriedades agrícolas e compra do excedente de produção por
parte do governo;(F)
c) Criou condições para controlar a oferta vis-à-vis à demanda externa de café,
elevando os preços no mercado internacional;(V)
d)Incentivou o aumento da oferta de café no mercado externo, com mecanismos de
controle da demanda interna;(F)
e) Representou uma intervenção governamental no mercado de café, mediante a
compra de excedentes para restabelecer o equilíbrio entre a oferta e a demanda.(V)
3 – A crise mundial deflagrada em 1929 levou o governo brasileiro a implementar,
durante os anos da grande depressão, uma políticadirigida especificamente ao setor
cafeeiro. Essa política:
a) Pode ser caracterizada como anticíclica, de fomento da renda nacional;(V)
b) Consistiu, essencialmente, na não garantia de um preço mínimo de compra do
café pelo governo, haja vista a pretensão de deixar a economia ao livre jogo das
forças do mercado;(V)
c) Ao reduzir a renda do setor exportador, levou (por seu efeitomultiplicador) ao
aumento do desemprego nos demais setores da economia;(F)
d) O imposto de exportação e o empréstimo externo contraído pelo governo de São
Paulo em 1930, principal produtor de café, foram decisivos para o
financiamento das compras de café;(F)
e) O mecanismo cambial, por si só, foi capaz de constituir, naquele momento, um
instrumento efetivo de defesa da economia cafeeira frente àcrise.(V)
4 – Na Grande Depressão, em razão da drástica queda do preço do café, levou o
governo brasileiro a adotar uma política de defesa do setor cafeeiro. Segundo nossos
estudos:
a) Essa política pode ser vista, pelos resultados que produziu, como uma política
anticíclica consoante os fundamentos macroeconômicos que, alguns anos
depois, seriam a base das análises econômicas de combate à recessãoeconômica;(V)
b) A tentativa de se evitar a contração da renda do setor cafeeiro, essa política não
foi capaz de reduzir os efeitos do multiplicador de desemprego sobre os demais
setores da economia;(V)
c) Essa política foi totalmente financiada por emissão de papel-moeda lastreada por
empréstimos externos;(F)
d) O mecanismo do câmbio não era mais capaz de provocar um aumento na
demandaexterna de café;(V)
e) O preço do café foi condicionado fundamentalmente por fatores que prevaleciam
do lado da oferta, sendo de importância secundária o que ocorria do lado da
demanda.(V)
5 – A respeito da recuperação da economia brasileira depois da Grande Depressão, é
correto afirmar que:
a) A política de queima de excedentes de café foi mais favorável à recuperação
industrial do que...
tracking img