Laudos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1714 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ENGENHARIA E SEGURANÇA DO TRABALHO S/S LTDA. – EPP
Engº. Lamartine Diniz Barazzutti – CREA 68.695 – D
Téc. Seg. Paulo Ricardo Corrêa – RG/DRT/RS – 000.644.0

LAUDO TÉCNICO
AVALIAÇÃO DE EXPOSIÇÃO AO CALOR EM AMBIENTE DE TRABALHO
1 - OBJETIVO
Tem por objetivo o presente laudo técnico, avaliar a exposição ocupacional ao
calor conforme NR 15 anexo no 3 da Portortaria 3214/78 do Ministério doTrabalho.
2 - CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES
Foram colhidas as informações necessárias para a melhor forma de avaliar as
condições de trabalho, bem como feita às observações pertinentes no local de trabalho,
acompanhado por representantes da FURG, o Sr. Edison Machado Castro, Técnico de
Segurança do Trabalho.
3 - DAS AVALIAÇÕES
As avaliações foram realizadas no dia 12/11/2008 e 05/12/2008 noshorários
compreendidos entre 9h e 10min, até às 17h horários estes que representa a situação de
exposição mais crítica.
4 - CONDIÇÕES DE TRABALHO
As avaliações foram realizadas em condições normais de trabalho.
5 - METODOLOGIA
5.1 - CRITÉRIO UTILIZADO
Portaria 3214/78 do Ministério do Trabalho NR 15 anexo 03.
5.2 - PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÕES
As avaliações foram realizadas por postos detrabalho e locais de atividade em
sua normalidade de funcionamento nos setores de cozinha, lavanderia e CME (Centro
de Material e Esterilização); locais estes providos de equipamentos de emissão de calor
para o ambiente.
Fone /Fax 51.3361.6711 - 51.3475.6934

1

ldbjob@terra.com.br www.safetyjob.com.br

ENGENHARIA E SEGURANÇA DO TRABALHO S/S LTDA. – EPP
Engº. Lamartine Diniz Barazzutti –CREA 68.695 – D
Téc. Seg. Paulo Ricardo Corrêa – RG/DRT/RS – 000.644.0

*Demais posto de trabalho: não realizamos avaliações por ser de nosso
entendimento que deva ser realizado quando executada a avaliação ergonômica dos
postos de trabalho, cuja abordagem trata o efeito calor como agente ergonômico.
Foi o equipamento calibrado com seu módulo de calibração, segundo o padrão
especificadopelo fabricante.
A unidade foi programada para leitura em grau Célcius coincidente com as
impressas no módulo, com tolerância de + ou – 0,5 0C.
As medições foram realizadas a altura da região do corpo mais atingida, através
da utilização de tripé regulável, conforme estabelece a NR15 anexo 13.
Padrões operacionais, indicados pelo fabicante:
Tempos de estabilizações
Termômetro de Bulbo ÚmidoNatural (TBN) = 20 min
Termômetro de Globo (TG) = 25 min
Termômetro de Bulbo Seco (TBS) = 20 min
O intervalo entre cada ponto avaliado, respeitou um tempo mínimo de 20 min,
para estabilização do termômetro de maior tempo.
6 - LOCAL DE TRABALHO
O setor de cozinha está localizada em área coberta, com pé direito de
aproximadamente 4 metros, cobertura de laje de concreto, com paredes laterais emalvenaria, exaustão forçada sobre os fogões. Na parede estão colocados exaustores
axiais, cuja vazão oferece a troca de ar inferior à necessitada. As panelas também são
grandes fontes de emissão de calor radiante.
O setor de CME (Centro de Material e Esterilização), está localizado em área
coberta, com pé direito aproximadamente 4 metros paredes em alvenaria com
iluminação artificial comabertura interna em concreto armado, desprovido de
ventilação natural forçada ou artificial exaustora. As fontes geradoras de calor são
autoclaves e estufas destinadas a esterelização de materiais de uso hospitalar,
caracterizando-se fontes de emissão de calor radiante.

Fone /Fax 51.3361.6711 - 51.3475.6934

2

ldbjob@terra.com.br www.safetyjob.com.br

ENGENHARIA E SEGURANÇA DO TRABALHOS/S LTDA. – EPP
Engº. Lamartine Diniz Barazzutti – CREA 68.695 – D
Téc. Seg. Paulo Ricardo Corrêa – RG/DRT/RS – 000.644.0

O setor de lavanderia está localizado em área coberta, com pé direito
aproximadamente 4 metros paredes em alvenaria com iluminação artificial com abertura
interna em concreto armado, desprovido de ventilação natural forçada ou artificial
exaustora. As fontes...
tracking img