Karl popper

SUMÁRIO

1.Introdução 04
1. 1 Biografia
2.Desenvolvimento 05
2.1 As explicações científicas e a lógica dedutiva
2.2 Falseacionismo
2.3 O problema da indução
2.4 O método crítico
2.5 O critério da demarcação
2.6 A teoria do conhecimento
2.7 A teoria dos três mundos e o problema cérebro-mente
3.Conclusão 09
4.Referência 101. INTRODUÇÃO
No século XX, duas ideias foram disseminadas na Europa. A primeira, o Verificacionismo, defendida pelos positivistas lógicos, consiste em obter o conhecimento por meio do apoio positivo dado às teorias pelas observações através do método científico. A segunda, o Falseacionismo, articulada por Karl Popper no mesmo período, se opõe ao Verificacionismo, e será abordada mais àfrente.
1. 1 Biografia
Karl Raimund Popper nasceu em 1902 em Viena, na Áustria. Estudou na Universidade de Viena e se doutorou em Filosofia, em 1928. Foi professor na Canterbury University College, na Nova Zelândia, para onde emigrou em 1937, devido à ascensão do nazismo. Em 1946, mudou-se para a Inglaterra e, em 1949, foi nomeado professor de Filosofia da Ciência na London School of Economics.Morreu em 17 de setembro de 1994, aos 92 anos de idade.
Ainda na Áustria, em 1934, foi publicado o seu primeiro livro, Logic der Forschung (A Lógica da Pesquisa Científica (Popper, 1980), na versão brasileira), que se constituiu em uma crítica do positivismo lógico do Círculo de Viena, defendendo a concepção de que todo o conhecimento é falível e corrigível, virtualmente provisório. Outros livrospublicados por ele foram A Sociedade Aberta e seus Inimigos e A miséria do Historicismo, que abordam a política e a sociedade.

2. DESENVOLVIMENTO
2.1 As explicações científicas e a lógica dedutiva
As teorias científicas, segundo Karl Popper, seriam conjecturas especulativas criadas livremente pelo intelecto humano no sentido de superar problemas encontrados por teorias anteriores e dar umaexplicação adequada do comportamento de algum aspecto do mundo. A Ciência, portanto, se basearia apenas na dedução. Popper recusa a parte indutiva da Ciência. A tarefa da Ciência seria, em parte, teórica – explicar – e, em parte, prática – prever e aplicar tecnicamente. Ele explica essas três atividades a partir do seguinte esquema lógico:
1) Leis universais
2) Condições iniciais
3)Explanandum
As leis universais e as condições universais constituiriam o explanans (aquilo que explica). Prever seria, a partir do explanans, deduzir o Explanandum (aquilo que está sendo explicado). A partir de certas leis universais e condições iniciais, trata-se de deduzir uma conclusão. A aplicação técnica consistiria na busca de certas condições iniciais, a partir de leis gerais dadas e de umExplanandum: encontrar certas condições iniciais que pudessem ser realizadas tecnicamente e que, quando vistas em relação a certas leis gerais, tornassem o Explanandum uma consequência lógica.
2.2 Falseacionismo
Segundo o Falseacionismo, uma teoria só é científica se for refutável, isto é, se puder eventualmente ser posta em dúvida por fatos possíveis. Uma teoria científica é boa, diz Popper,quanto mais aberta estiver a fatos novos que possam tornar falsos os princípios e os conceitos em que se baseava. Assim, o valor de uma teoria não se mede por sua verdade, mas pela possibilidade de ser falsa. A falseabilidade seria o critério de avaliação das teorias científicas e garantiria a ideia de progresso científico, pois é a mesma teoria que vai sendo corrigida por fatos novos que afalsificam.
2.3 O problema da indução
Foi um dos problemas investigados por Popper. Enquanto os indutivistas acreditavam que era possível justificar logicamente as teorias através dos fatos, Popper dizia que, independente do número de observações feitas, não é possível dizer se uma teoria é verdade ou não.
2.4 O método crítico
Não existe um método lógico capaz de levar o cientista à formulação de...
tracking img