Karl Marx

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1518 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Karl Marx:
O Materialismo
Dialético;
Ideologia
e
Alienação!

Web Aula 8
Fundamentos das Ciências Sociais
professor; Luciano Stodulny
Email; stodulny@hotmail.com

Trabalho
latim tripallium
Instrumento de tortura
formado por três paus

Modernidade industrial

Revolução industrial (Europa, século XVIII)
incorporação de
tecnologia no
processo produtivo
êxodo rural

formaçãode
cidades
concentração de
renda
X
aumento da
pobreza

Para Marx, o trabalho é uma capacidade exclusivamente humana
O homem planeja antes de executar o trabalho.
O trabalho deve satisfazer o homem.

PORÉM
no sistema capitalista o
trabalho desumaniza o
homem, gerando a
alienação.

A divisão do trabalho torna o trabalhador “cada vez mais
unilateral e dependente” por exigirespecializações sempre
crescentes que têm como objetivo a adaptação dos sujeitos
às máquinas e aos processos industriais. (MARX)

Com a automatização

O trabalho
humano foi
substituído pelas
máquinas.
Gerou-se um
grande número de
desempregados.
O homem
continua
perdendo sua
“humanidade”.
“Para qualificar o escravo, Aristóteles emprega a expressão
instrumento animado. (...) O robô éisso: uma máquina que
dispensa o operador, um instrumento que trabalha sozinho e,
portanto, um instrumento animado.”
SAUTET, Marc. Um café para Sócrates. Rio de Janeiro: José Olympio, 1999. p. 262-3

Alienação
“Quanto mais o trabalhador produz, menos tem de consumir; quanto
mais valores cria, mais sem valor e desprezível se torna; quanto mais
refinado o seu produto, mais desfigurado otrabalhador; quanto mais
civilizado o produto, mais desumano o trabalhador; quanto mais
poderoso o trabalho, mais impotente se torna o trabalhador; quanto
mais magnífico e pleno de inteligência o trabalho, mais o trabalhador
diminui em inteligência e se torna escravo da natureza.”
(MARX, Manuscritos econômicofilosóficos. São Paulo: Martin
Claret, 2004. p. 113)

Tempos Modernos. CharlesChaplin

SALÁRIO
O operário é o indivíduo que é obrigado a
sobreviver da sua força de trabalho.
No capitalismo, ele se torna uma mercadoria,
algo útil, que se pode comprar e vender por um
contrato entre ele e o capitalista em troca de
uma quantia em dinheiro, o salário.
O salário é o valor da força de trabalho.
O cálculo do salário depende do preço dos bens
necessários à subsistência dotrabalhador.

TRABALHO, VALOR E LUCRO
O capitalismo vê a força de trabalho como
mercadoria, porém a única capaz de criar valor.
O trabalho é reconhecido como a verdadeira
fonte de riqueza das sociedades.
Marx foi além. Para ele, o trabalho, ao se exercer
sobre determinados objetos, provoca nestes
uma espécie de “ressurreição”.

MAIS-VALIA
Custo de um par de sapatos na jornada
detrabalho de três horas
Meios de produção
+salário

120
+ 30
______
150

Custo de um par de sapatos na jornada de
trabalho de nove horas
Meios de produção 120x3 = 360
+ salário
+ 30
_______
390:3 = 130
Visualiza-se que uma coisa é o valor da força
de trabalho, o salário, e outra é o quanto esse
trabalho rende ao capitalista. Esse valor
excedente produzido pelo operário é o que
Marxchama de mais-valia.

Mais-valia Absoluta
- O capitalista procura aumentar constantemente
a jornada de trabalho.

Mais-valia Relativa
- Quando a mecanização faz com que a

qualidade dos produtos dependa menos da
habilidade e do conhecimento técnico do
trabalhador individual. A força de trabalho vale
cada vez menos e graças à maquinaria
desenvolvida, produz cada vez mais. MATERIALISMO HISTÓRICO
Marx parte do princípio de que a estrutura de
uma sociedade qualquer reflete a forma como
os homens se organizam para a produção social
de bens, englobando dois fatores fundamentais:
as forças produtivas (matérias-primas e
instrumentos) e as relações de produção (forças
produtivas, técnica, os próprios trabalhadores e
o produto final).

Forças produtivas e relações de...
tracking img