Kaka

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1189 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA
DEPARTAMENTO DE SAÚDE
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E SAÚDE
















REPERCUSSÕES DO PROCESSO DE TRABALHO NA AVALIAÇÃO DA SAÚDE DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE







Andreia Souza de Jesus





















Jequié/BA
2013


INTRODUÇÃO


A realidade atual no mundo do trabalho temsubmetido os trabalhadores ao consumo excessivo de energias físicas e espirituais, situação justificada, a maioria das vezes, pela possibilidade de desemprego, contratos de trabalho precário, baixos salários e ambientes bastante insalubres. (ELIAS, M.A; NAVARRO, V.L, 2006).
O momento exige dos trabalhadores condições como, polivalência, maior nível de instrução, iniciativa, mas sem autonomiapara decidir sobre os meios e os fins nos quais estão diretamente inseridos. Além disso, é marcante a precarização do trabalho caracterizado pelo crescimento econômico sem proporcional aumento na oferta de emprego, determinado pela substituição da força de trabalho humana por máquinas e pela terceirização, o que permite outras formas de contratação que substituem o emprego formal (ASSUNÇÃO, A.A,2003).
As características do trabalho na atualidade têm levado a estudos sobre a abordagem de fatores que relacionam elementos como trabalho, trabalhadores e saúde, buscando a criação de práticas de caráter preventivo aos danos a saúde dos trabalhadores. Porém, a criação do perfil dos diagnósticos médicos guiados pela Classificação Internacional das Doenças (CID-10) associados às condições detrabalho deve ser cautelosa para não reduzir a capacidade psicofisiológica do ser humano aos fatores laborais (ASSUNÇÃO, A.A, 2003).
Ainda assim, o papel do trabalho é considerado relevante na determinação e evolução do processo saúde-doença dos trabalhadores e o estabelecimento da relação causal ou do nexo entre um determinado evento de saúde, dano ou doença, seja individual ou coletivo,constitui a condição básica para a implementação das ações de Saúde do Trabalhador nos serviços de saúde (BRASIL, 2009)
O trabalho dentro do contexto da saúde pode ser abordado em diversos ambientes, sendo a Saúde da Família um campo singular por ser considerada como estratégia prioritária da atenção básica, que busca reorientar o modelo de atenção à saúde, ao aproximar os profissionais de saúdeà comunidade, utilizando para isto diversas estratégias como desenvolver o trabalho na própria comunidade, por vezes, dentro dos domicílios durante as visitas (BRASIL, 2004).
Dentre os profissionais de saúde da Estratégia de Saúde da Família (ESF) destacamos o Agente Comunitário de Saúde (ACS) que desenvolve seu trabalho mais próximo dos usuários, por residir na área de atuação e realizar visitasdomiciliares cotidianamente, o que contribui para estimular maior inserção dos usuários no contexto das unidades de saúde.
O ACS desenvolve diversas ações no intuito de favorecer a integração entre a família e a equipe de saúde, além disso, é responsável por atividades específicas como adscrição das famílias, cadastramento das pessoas de sua microárea, orientação das famílias sobre a utilizaçãodos serviços de saúde disponíveis, realização de atividades programadas e de atenção à demanda espontânea, ações educativas, entre outras (BRASIL, 2011).
O trabalho técnico do ACS envolve ações, como medida de peso, altura e conhecimento do estado vacinal das crianças, mobilização da comunidade, conhecimento da área, cadastramento das famílias, identificação de fatores de risco, o que tambémexige determinadas habilidades (NUNES, M.O; TRAD, L.B; ALMEIDA, B.A; HOMEM, C.R; MELO, M.C.I.C, 2002). Com isso, reforça-se a ideia do trabalhador atual, no que se refere a exigência de conhecimentos e atuações em diferentes níveis, englobando conhecimentos científicos e esforços físicos.
A atuação do ACS é considerada bastante relevante no contexto das ações do Sistema Único de Saúde (SUS), o...
tracking img