Julgamento - o caso dos exploradores de caverna

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1061 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Após ler o livro O caso dos exploradores de caverna e fazer uma análise profunda do fato ocorrido aos exploradores, bem como dos vereditos dos cinco juizes, pude chegar a uma decisão que me parece mais justa.
Assim como o juiz Tatting, senti-me perplexa com o caso, dividida entre a simpatia, talvez até uma espécie de compaixão para com os acusados, mas também acometida por um fortesentimento de repulsa ao ato que cometeram. Logo percebi, portanto, que se meus sentimentos não me permitiam um julgamento rápido, minha razão deveria ser ainda mais cautelosa, principalmente se levarmos em conta o fato de que onze pessoas já perderam a vida durante o ocorrido e as vidas de mais quatro foram postas na balança.
A leitura do livro me permitiu analisar comparativamente os vereditosdos cinco juizes, percebi-me inclinada a diversos argumentos, mas sem centrar-me numa única posição.
Tomando a declaração do presidente Truepenny, discordei de sua decisão. O presidente do tribunal, apesar de considerar plausível um abrandamento da pena pelo executivo, leva em consideração a lei, e somente ela, para tomar sua decisão, indo, assim, contra a simpatia que admite sentir emrelação ao caso e a inclinação de se ter consideração pela situação vivida pelos acusados.
O próximo juiz a julgar, Foster, é, ao contrário de Truepenny, extremamente jusnaturalista, assume posições com as quais simpatizei em diversos pontos, mas como prefiro me ater a decisões ponderadas, também discordei em outros. Foster defende que os exploradores estavam em uma situação excepcional e,portanto deveriam ser julgados excepcionalmente. Segundo ele, a situação extrema, de prisão e fome, em que se encontravam, os havia retirado da sociedade, e as leis positivadas foram criadas para os homens na vida em sociedade, sendo assim, essas leis não poderiam ser aplicadas aos réus, o que os deixaria sob uma jurisdição naturalista e, segundo Foster, era sob ela que deveriam ser julgados. Fosterinocenta os acusados de qualquer crime seguindo a linha de raciocínio jusnaturalista, mas me vejo inclinada a discordar de alguns de seus argumentos.
Acredito que a sociedade não está onde está o povo, mas sim dentro de todos aqueles que nela foram criados. Os exploradores não deixaram de saber falar por não estarem em meio a um grande grupo de pessoas, ou de escrever, ou de ler, tudo isso elesaprenderam durante a convivência em sociedade, sendo assim, parte da sociedade, seus ensinamentos, foram levados com os exploradores para dentro da caverna, além disso, o conceito de sociedade é deveras nebuloso para se afirmar que os cinco presentes dentro da caverna não constituíam uma sociedade, não há um número exato que o determine. Sendo assim, seria pouco cauteloso afirmar que osexploradores não se encontravam sob as leis positivas do legislativo.
No entanto, concordo com a visão do juiz de que as leis devem ser interpretadas sem ferir seu propósito. Uma lei que criminaliza o ato de tirar a vida de outrem, tem como principal objetivo o de evitar que isto aconteça, a situação em que se encontravam os exploradores não poderia ser prevista, ou mesmo evitada, sendo assim, sobaquelas circunstâncias, a lei perderia o seu propósito, pois a morte, naquele caso, não era evitável. Se um dos exploradores, no caso a vítima Whetmore, não perdesse a vida em prol da sobrevivência dos outros, todos eles morreriam, e este fato não é negável.
Partindo para a decisão do juiz Tatting, sinto-o ponderativo em relação ao veredito, mas creio eu que sua falta de objetividade oimpediu de ver com clareza a decisão certa a tomar.
Toda a linha de raciocínio do juiz me pareceu lógica e fundada, mas nem todos os questionamentos feitos por ele me pareceram de real relevância para o julgamento.
Concordo com a opinião do juiz de que nenhum deles estava em estado de natureza, ou haviam estudado para estabelecer julgamentos sob as leis naturais, o que me leva a...
tracking img