Jogos, brinquedos e brincadeiras no ensino de matemática na educação infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6168 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
PEDAGOGIA

JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NO ENSINO DE
MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2010

JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NO ENSINO DE
MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Trabalho apresentado ao Curso Pedagogia da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Fundamentos e Metodologias doEnsino da Matemática, sob a orientação da professora Eliane Araman

2010

INTRODUÇÃO

"Soubéssemos nós adultos preservar o brilho e o frescor da brincadeira infantil, teríamos uma humanidade plena de amor e fraternidade. Resta-nos, então, aprender com as crianças."
(Monique Deheinzelin)

A seguinte pesquisa foi de grande relevância para nós, pois, por meio dela,tivemos a oportunidade de conhecer diversas realidades e ouvir relatos e experiências de vários educadores. Pudemos refletir ainda sobre o que pensa o professor a respeito da importância do brincar na aquisição de conhecimentos matemáticos. Ao socializar os resultados dos estudos, pesquisas e entrevistas, percebemos o espaço privilegiado de trocas de experiências, de questionamentos, de novasidéias e de novas reflexões.

A entrevista realizada através dos questionários aos professores sugere um momento de reflexão sobre a nossa prática pedagógica, pois com base nos artigos que embasa este trabalho (capítulo 4 do CECENCA “Jogos, brinquedos e brincadeiras: o processo ensino aprendizagem da Matemática na Educação Infantil” dos autores José Roberto Boettger Giardinetto e JanetiMarmontel Mariani), percebemos a necessidade do uso intencional dos jogos matemáticos em sala de aula, para que, sejam desenvolvidas as habilidades necessárias, paralelo ao aprender brincando.

A aprendizagem do educando é preocupação fundamental para a escola, hoje ela pode e deve se empenhar e interagir no sentido de trazer e oportunizar os jogos educativos incentivando umaprendizado matemático mais dinâmico. A utilização dos jogos, todavia, só é eficaz se for desempenhada simultaneamente na função distrair e instruir. Percebe-se que brincando com jogos matemáticos as crianças elaboram raciocínio lógico e melhoram a sua comunicação, desta forma estão se socializando e aprendendo significativamente.

PARTE 1

Os jogos existem e são praticados desde aantiguidade, sendo que foi no século XVIII, com a valorização da infância por Rousseau, que estes apareceram como recursos educativos, pois conforme Kishimoto, quando usados intencionalmente pelos educadores, estes deixam de ser apenas recreativos e passam a ser também instrumentos pedagógicos.

Kishimoto explica a diferença entre brinquedo e jogos. Segundo ela os jogos exigemconhecimento matemático e regras para serem utilizados e, ao utilizar um brinquedo, a criança vive momentos lúdicos livres, representam a realidade e não necessariamente precisa de conhecimento prévio. Kishimoto aponta ainda o surgimento de novas concepções de aprendizagem. Na primeira, a criança apreende idéias matemáticas ao lidar com a lógica da brincadeira e na segunda a criança apreende o conteúdocultural do jogo. Para que haja aprendizagem, no entanto, é necessário uma postura intencional por parte dos educadores com relação à utilização desses jogos como recursos didáticos, devendo flexibilizar suas ações e mediar esse processo.

Para que haja aprendizagem é preciso também haver interação social, conforme a psicologia sócio-Histórica, de Vigotsky. Ele cria umconceito para explicitar o valor da experiência social no desenvolvimento cognitivo. Segundo ele, há uma zona de desenvolvimento proximal, que se refere à distância entre o nível de desenvolvimento atual, determinado através da solução de problemas pela criança, sem ajuda de alguém mais experiente, e o nível potencial de desenvolvimento, medido através da solução de problemas sob a orientação de...
tracking img