Joao e bilu

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1573 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO


INTRODUÇÃO 04

DESENVOLVIMENTO 02

CONCLUSÃO 04

REFERÊNCIAS05





















4
Introdução

O Estado Capitalista é bastante desigual e não permite que a igualdade de direitos e oportunidades se prolífere , por esse motivo o Estado criou as políticas Sociais para atender a população que não participa do processo produtivodo País. É necessário perceber que a relação entre Estado e o processo de aumento do capital é considerado movimentos sociais e políticos concretos que trazem a necessidade de cuidar da vida do trabalhador.
As políticas sociais implantadas para a diminuição das desigualdades sociais e desigualdades de direitos são alternativas governamentais, formados por planos, projetos eprogramas de interveção para cada área ou campo, como educação, saúde, assistência, lazer etc. A luta contra as desigualdades sociais se referem a ações implementadas pelo o Estado que procura a diminuição das desigualdades sociais recorrentes do CAPITALISMO.
As intervenções criadas pelo o Estado não tem objetivo de privilegiar o capitalismo, mas estabelecer mecanismos de proteção social a todas aspessoas que não tem condições, é uma política contra a lógica do capital que é a do lucro, a política social objetiva o atendimento as necessidades básicas da vida. Essa política se origina da luta de trabalhadores que revindicavam os seus direitos de proteção social, ou seja que eles tivessem condições de manter suas familias.











5
DesenvolvimentoAs desigualdades sociais, questão social são fenômenos que proporcionam a origem e fundamento ao Serviço social para que seja feito um aprofundamento na especialização do trabalho humano. O serviço social tem duplo sentido mediante a questão social, o sentido amplo atingi um conjunto de contradições e conflitos que são criados na construção da sociedade, onde são confrontados no processo demudança gerado pelo capitalismo, o sentido escrito são constituidas manifestações concretas, onde se envolve um todo; pessoas, população, entre outros. Essas questões vem crescendo cada vez mais e é renovada pelos surgimento de novos conflitos gerados pelas desigualdades sociais.
Com a crise do capital e suas mais recentes estratégias de reprodução em escala ampliada sentida maisintensamente, no Brasil, a partir da década de 90 do século passado , tem gerado enormes impactos na questão social contemporânea (MARX, 1984, p. 187).
A conseqüência do cenário capitalista é visível no cotidiano da população: a reorganização dos estados à pobreza absoluta, as alterações no mundo do trabalho na era produtiva (que, certamente, penaliza o trabalho em favor docapital) e o aumento da desigualdade social e de suas diversas expressões marcadas pela concentração do capitalismo nacional.
A sociedade capitalista buscava o aumento do seu capital, e os operários lutavam por uma qualidade de vida digna, contra exploração e ter mais oportunidade social. A vioalção dos direitos dos trabalhadores fere a sua dignidade, com os baixos salários, por isso que asociedade capitalista tornou-se dominates aos pobres.


No seu estágio contemporâneo, no capitalismo dos nossos dias, fica cada vez mais patente, cada vez mais claro, que a relação originária entre ordem do capital e demandas democráticas, que era uma relação de contradição, tem se transformado numa
6


relação de antagonismo. (...) A luta por direitos, velhos e novos - e...
tracking img