Jjjjjjjjjjjjjj

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2086 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice

Introdução...................................................................................................................Pg2Teoria keynesiana........................................................................................................Pg3

Objectivo do keynesianismo........................................................................................Pg4

Papel do Estadona Economia Segundo keynes............................................................Pg5

Desenvolvimento das teorias keynesianas...................................................................Pg7

Principais Dogmas da Escola keynesiana se Tornaram Contribuições Duradouras......Pg8

Sistemakeynesiano......................................................................................................Pg8

Preferência pela liquidez..............................................................................................Pg9

Renda e Empregos Equilibrados.................................................................................Pg10































Introdução


A escola Keynesiana é a teoria económica consolidada pelo economista inglês John Maynard Keynes em seulivro Teoria geral do emprego, do juro e da moeda e que consiste numa organização político-económica, oposta às concepções neoliberalistas, fundamentada na afirmação do Estado como agente indispensável de controlo da economia, com objectivo de conduzir a um sistema de pleno emprego. Tais teorias tiveram uma enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política delivre mercado.
A escola keynesiana se fundamenta no princípio de que o ciclo económico não é auto-regulado como pensam os neoclássicos, uma vez que é determinado pelo "espírito animal" dos empresários. É por esse motivo, e pela incapacidade do sistema capitalista conseguir empregar todos os que querem trabalhar, que Keynes defende a intervenção do Estado na economia.
A visão keynesiana deque havia meios alternativos para a redução dos salários nominais, a fim de se atingir o pleno emprego, era particularmente oportuna. Essa prescrição política que havia imergido do pensamento neoclássico encontrou pouco apoio como solução prática para o desemprego em massa. Ainda mas importante de acordo com keynes, uma redução profunda e geral dos salários nominais contribui para uma políticaeconomica ruim. Ele sustentava que uma unica empresa pode aumentar as vendas eo emprego por meio de reduçoes salarias, porque a demanda por seus produtos permanecerá inalterada. Uma economia inteira, no entanto, não pode aumentar as vendas com facilidade redusindo os salarios nominais(assumindo-se que ela esteja isolada do comercio internacional), porque os salarios são uma fonte da demanda por bens,assim como um custo de produção. Se os salarios começam a cair, as pessoas esperam que eles caiam ainda mas; isso pode fazer com que as empresas adiem os gastos com envestimentos, tornado a recessão ainda pior.


1.1Teoria Keynesiana
A teoria de Keynes é baseada no princípio de que os consumidores aplicam as proporções de seus gastos em bens e poupança, em função da renda. Quanto maior arenda, maior a percentagem desta é poupada. Assim, se a renda agregada aumenta em função do aumento do emprego, a taxa de poupança aumenta simultaneamente; e como a taxa de acumulação de capital aumenta, a produtividade marginal do capital reduz-se, e o investimento é reduzido, já que o lucro é proporcional à produtividade marginal do capital. Então ocorre um excesso de poupança, em relação aoinvestimento, o que faz com que a demanda (procura) efectiva fique abaixo da oferta e assim o emprego se reduza para um ponto de equilíbrio em que a poupança e o investimento fiquem iguais. Como esse equilíbrio pode significar a ocorrência de desemprego involuntário em economias avançadas (onde a quantidade de capital acumulado seja grande e sua produtividade seja pequena), Keynes defendeu a tese de...
tracking img