Jesus morreu mesmo numa cruz?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1468 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Jesus morreu mesmo numa cruz?
“A CRUZ”, diz certa enciclopédia, “é o mais conhecido símbolo do cristianismo”. Muitas pinturas religiosas e obras de arte mostram Jesus pregado numa cruz. Por que esse símbolo é tão difundido na cristandade? Jesus morreu mesmo numa cruz?
Muitos diriam que sim e usariam a Bíblia para provar isso. Por exemplo, segundo a versão Almeida, revista e corrigida, por ocasiãoda execução de Jesus, observadores zombaram dele e o desafiaram a ‘descer da cruz’. (Mateus 27:40, 42) Muitas outras traduções da Bíblia dizem algo parecido. A Bíblia na Linguagem de Hoje diz sobre Simão de Cirene: “Os soldados obrigaram Simão a carregar a cruz de Jesus.” (Marcos 15:21) Nesses versículos, a palavra “cruz” é a tradução da palavra grega staurós. Existe base sólida para essatradução? Qual o significado original dessa palavra?
O que é uma cruz?
Segundo o especialista em grego W. E. Vine, staurós “denota primariamente um poste ou uma estaca vertical. Nesses pregavam-se os malfeitores para serem executados. O sentido original tanto do substantivo como do verbo stauroō, prender a uma estaca ou poste, difere do conceito eclesiástico de uma cruz de duas vigas”.
O The ImperialBible-Dictionary (Dicionário Bíblico Imperial) diz que a palavra staurós “significava apropriadamente uma estaca, um poste reto ou um madeiro, em que algo podia ser pendurado, ou que poderia ser usado para cercar com estacas um pedaço de terreno”. O dicionário continua: “Até mesmo entre os romanos a crux (da qual se deriva nossa cruz) parece ter sido originalmente um poste reto.” Assim, não é desurpreender que a The Catholic Encyclopedia (Enciclopédia Católica) diga: “De qualquer forma, é certo que a cruz originalmente consistia em um simples poste vertical, afiado na extremidade superior.”
Há outra palavra grega, xýlon, que os escritores bíblicos usaram para descrever o instrumento da execução de Jesus. A obra A Critical Lexicon and Concordance to the English and Greek New Testament (LéxicoCrítico e Concordância do Novo Testamento em Inglês e Grego) define xýlon como “pedaço de um tronco, uma estaca de madeira”. E acrescenta que, assim como staurós, xýlon “era simplesmente um poste ou uma estaca vertical onde os romanos pregavam os que haviam sido condenados a ser crucificados”.
Em harmonia com isso, é interessante notar que a King James Version (Versão Rei Jaime) diz em Atos 5:30:“O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, a quem vós matastes e pendurastes numa árvore [xýlon].” Outras versões, embora traduzam staurós por “cruz”, também traduzem xýlon por “árvore”. Em Atos 13:29, A Bíblia de Jerusalém diz sobre Jesus: “Quando cumpriram tudo o que estava escrito a seu respeito, desceram-no do madeiro [xýlon] e o colocaram no túmulo.”
Em vista do significado básico das palavrasgregas staurós e xýlon, o Critical Lexicon and Concordance, já citado, observa: “As duas palavras não combinam com o conceito atual de cruz, com a qual nós nos familiarizamos por meio de gravuras.” Em outras palavras, o que os escritores dos Evangelhos descreveram usando a palavra staurós não era nada parecido com o que as pessoas chamam hoje de cruz. Portanto, é apropriado que a Tradução do NovoMundo das Escrituras Sagradas use a expressão “estaca de tortura” em Mateus 27:40-42 e em outros lugares onde aparece a palavra staurós. De modo similar, a Complete Jewish Bible usa a expressão “estaca de execução”.
A origem da cruz
Se a Bíblia realmente não diz que Jesus foi executado numa cruz, então por que todas as igrejas — católicas, protestantes e ortodoxas — que afirmam ensinar e seguir aBíblia adornam seus edifícios com a cruz e a usam como símbolo de sua fé? Como a cruz se tornou um símbolo tão popular?
A resposta é que a cruz não é venerada apenas por membros de religiões que afirmam seguir a Bíblia, mas ela também já era venerada por pessoas cuja adoração é de muito antes do surgimento das religiões “cristãs”. Várias obras de referência sobre religião reconhecem que...
tracking img