Jesus historico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2683 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A teologia da esperança versus o teísmo aberto
Jorge Pinheiro dos Santos
Professor Pós-Doutor em Ciências da Religião
Quer queiramos ou não há princípios que norteiam a pesquisa teológica cristã. E estes
princípios estão presentes em nossos estudos mesmo quando os desconhecemos. O
primeiro deles é o princípio arquitetônico, ou seja, a revelação enquanto fonte e
fundamento de qualquer estudoda teologia. Nesse sentido, a revelação, ou seja, os dois
testamentos que compõem as Escrituras Sagradas cristãs são a base e o eixo da teologia.
Podemos chamar a revelação também de fé objetiva, pois deve nortear a vida cristã em
matéria de doutrina e fé subjetiva.
O segundo princípio é o hermenêutico e se refere aqueles instrumentos de interpretação
que utilizamos para compreender osaspectos históricos da salvação, ou seja, os
fundamentos culturais, religiosos, sociais e lingüísticos que subjazem no texto, já que se
por um lado o texto é cem por cento revelado, e nesse sentido divino, por outro lado é
cem por cento humano. Isso quer dizer que o texto expressa também todas as limitações
de uma produção humana, no que tange conteúdos culturais, econômicos, religiosos,
sociais elingüísticos. Assim, o princípio hermenêutico é produto da razão humana. E
por se produto da razão a instrumentalidade da hermenêutica através da história cristã
sempre expressou a universalidade do senso comum, ou seja, nossa maneira
fenomenológica de ver o mundo, de entendê-lo no dia a dia a partir da aparência dos
fenômenos. E assim dizemos que o dia nasce às cinco horas, mas é certo que odia não
nasce, nem se põe. Ou, teologicamente, dizemos que uma pessoa quando morre vai para
o céu, embora saibamos que o reino escatológico de Deus não se localiza nem na
atmosfera, nem na estratosfera e nem mesmo em nenhum lugar do universo visível. Mas
o senso comum faz parte da linguagem humana, e cada cultura faz suas construções
simbólicas, que não traduzem a realidade da natureza. Porisso, a hermenêutica
procurou a razão científica, aquela que baseada nas ciências, sejam elas humanas ou
técnicas, possibilitam entender melhor a profundidade do texto bíblico. E foi dessa
maneira que introduzimos em nossos estudos a lingüística, com o estudo dos idiomas
em que os textos foram escritos, a história, a geografia, a sociologia, o direito, etc. E
assim a razão científicaconquistou um lugar na hermenêutica acadêmica que estuda a
teologia. Mas, se os cristãos sempre utilizaram o senso comum, se a academia trouxe os
conhecimentos da ciência, a filosofia, desde o início da história da teologia cristã, foi
um elemento fundamental na ordenação do pensamento. Na verdade, o mundo ocidental
aprendeu a pensar de forma ordenada com os filósofos gregos, já que eles foram aquelesque formataram ainda no início de nossa civilização as bases do pensamento científico.
Por isso, quer queiramos ou não, a filosofia é formadora do pensamento cristão e as
filosofias em suas diversidades de abordagens e métodos sempre ofereceram ao teólogo
instrumental hermenêutico valioso.
Assim podemos dizer que o princípio hermenêutico sempre se utilizou do senso comum
e da razãofilosófica e, na modernidade, agregou ao seu instrumental também a razão
científica. Mas, não podemos nos esquecer que a utilização de tais princípios possibilita
diferentes avaliações da revelação. Por que? Porque o princípio arquitetônico depende
do que colocamos como base da estruturação geral de nossa metodologia de pesquisa:
pode ser a graça e a fé, como no caso de Lutero; a soberania de Deus,como no caso de
Calvino; ou o amor, a justiça e o poder, como no caso de um célebre texto de Paul
Tillich. E também porque o princípio hermenêutico depende do uso de uma ou de várias
1

das múltiplas abordagens filosóficas e científicas que podem ser utilizadas como
instrumento de interpretação da história da salvação. É por isso que se diz que a
ideologia define a hermenêutica.
Aqui...
tracking img