Jeremy benthan

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3549 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO


O Utilitarismo é um tipo de ética normativa, com origem nas obras dos filósofos e economistas ingleses do século XVIII e XIX. Jeremy Bentham e John Stuart Mill, segundo a qual uma ação é moralmente correta se tende a promover a felicidade e condenável se tende a produzir a infelicidade, considerada não apenas a felicidade do agente da ação, mas também a de todos afetados porela. O Utilitarismo rejeita o egoísmo, opondo-se a que o indivíduo deva perseguir seus próprios interesses, mesmo às custas dos outros, e se opõe também a qualquer teoria ética que considere ações ou tipos de atos como certos ou errados independentemente das conseqüências que eles possam ter.
O Utilitarismo assim difere radicalmente das teorias éticas que fazem o caráter de bom ou mal de uma açãodepender do motivo do agente, porque de acordo com o Utilitarismo, é possível que uma coisa boa venha a resultar de uma motivação ruim no indivíduo.






















































VIDA E OBRA DO AUTOR




Bentham nasceu em 15 de fevereiro de 1748 e foi tido como infante prodígio, pois aos cinco anos já liagrego e latim. Filho de advogado, estudou Direito para militar na área,seguindo desejo do pai de que seguisse a mesma carreira. Estudou direito em Oxford, formando-se em 1772. Quatro anos depois publicou sua primeira obra, A Fragment on Government (Um fragmento sobre o governo). Esse livro lhe granjeou a simpatia de Lord Shelburne, graças a quem conheceu destacados dirigentes do partido whig (doqual nasceria o Partido Liberal).
Em sua obra An Introduction to the Principles of Morals and Legislation (1789; Introdução aos princípios da moral e da legislação) expôs a doutrina do utilitarismo, cuja base era o reconhecimento de que o mundo é regido por dois princípios: prazer (bem) e dor (mal). Como esse fato é incontestável, a ordem social e moral deve buscar a utilidade, isto é, aquiloque produz o bem do indivíduo ou pelo menos, evita uma dor desnecessária. É preciso estabelecer uma ordem de valores, de acordo com a utilidade de cada um e escolher pragmaticamente os que possam produzir o maior bem para o maior número de pessoas. Como o castigo produz dor e não bem-estar, só deve ser empregado para prevenir males piores.
Interessado numa reforma legislativa em benefício dopovo, Bentham colaborou em vários projetos legais para o desenvolvimento do ensino, a erradicação da pobreza e a suavização das penas e dos regimes de prisão. Contribuiu também para que diversos países adotassem mudanças em suas leis penais e processuais, divulgando seu pensamento nas obras Rationale of Judicial Evidence (1827; Lógica da prova judicial) e Essay on Political Tactics (Ensaio sobretáticas políticas). Na verdade, Bentham nunca pretendeu elaborar uma teoria filosófica, mas sim favorecer a racionalização das instituições.
Jeremy Bentham atraiu jovens intelectuais como discípulos, entre eles o economista David Ricardo, James Mill e o jurista John Austin. Mais tarde John Stuart Mill, filho de James Mill, defendia o voto feminino, a educação paga pelo Estado para todos, e outraspropostas radicais para sua época, com base na visão utilitarista de que tais medidas eram essenciais à felicidade e bem estar de todos, assim como também a liberdade de expressão e a não interferência do governo quando o comportamento individual não afetasse as outras pessoas. Suas idéias exerceram grande influência sobre o desenvolvimento do liberalismo político e econômico, morreu em Londres,em 6 de junho de 1832.


Obras:
A Fragment on Government, 1776.
An Introduction to the Principles of Morals and Legislation, 1780.
Of Laws in General, 1782.
Defense of Usury, 1787.
Chrestomathia, 1817.
On the Liberty of the Press and Public Discussion, 1820
The Rationale of Reward, 1825.
Rationale of Judicial Evidence, 1827....
tracking img