Investimento sul-sul

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1310 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Multinacionais de países em desenvolvimento: o investimento Sul-Sul chega à maioridade.

Faculdade UnB Planaltina/FUP Gestão de Negócios Internacionais – Prof. Dr. Roberto Goulart Menezes Julia Pereira Rodrigues Borges (09/98141) Gabriel Rodrigues dos Reis Gianesini (09/95118)

Hipótese central
 “Já que as multinacionais emergentes viraram elementos permanentes, importantes e crescentes daeconomia mundial, elas não podem mais ser encaradas como idiossincrasias ou invenções. [...] Apesar das diferenças no que se refere às suas características institucionais, a maior parte das multinacionais emergentes tende a investir regionalmente e em outros países em desenvolvimento antes de avançar pelo resto do mundo. Elas preferem investir perto de seus países, em áreas com as quais estãocomercialmente familiarizadas ou onde têm fortes laços étnicos ou culturais. A abertura cada vez maior para o capital e para o comércio, em particular o avanço das privatizações, gerou oportunidades em países em desenvolvimento e teve um papel definitivo no surgimento recente do IED do tipo Sul-Sul.”

Argumentos
 No processo de injeção de capital, tecnologia, marketing e conhecimentosempresariais por parte das corporações multinacionais dos países industrializados; as empresas de economias emergentes, em transição e em desenvolvimento acumularam capital, conhecimento e know-how suficientes para investir por conta própria no exterior e reivindicar o status de multinacionais emergentes.



O número de grandes companhias sediadas fora do eixo “norte” aumentou de 26, em 1988, para 61,em 2005.

Argumentos
 As principais fontes de IED de países em desenvolvimento concentravam-se num pequeno grupo de economias, incluindo Argentina, Brasil, Hong Kong, Índia, Coréia do Sul, Cingapura e Taiwan. Foi somente a partir do fim da década de 1980 que um número crescente de países em desenvolvimento, incluindo Chile, China, Egito, Malásia, México, Rússia, África do Sul, Tailândia eTurquia tornouse fonte significativa de IED.

Argumentos
 Nunca foi tão difícil determinar a nacionalidade de uma companhia multinacional e definir e monitorar suas operações internacionais, principalmente pela inconsistência dos dados de entrada e saída de IED das nações.  Em 2004, a saída de IED no mundo todo somou US$ 730 bilhões, enquanto a entrada ficou em US$ 648 bilhões.

Argumentos Definir a nacionalidade das multinacionais é difícil nos seguintes casos:  Subsidiárias de corporações multinacionais de países da OCDE instaladas em países em desenvolvimento que investem em outros países em desenvolvimento;  Companhias de países emergentes controladas por investidores da OCDE;  Multinacionais emergentes que compram ações fixas de multinacionais baseadas em países do Norte, asquais, por sua vez, recebem em troca uma participação expressiva em seus negócios (Lenovo/IBM, TCL/Alcatel, BenQ/Siemens).

Argumentos
 Os investimentos em economias em desenvolvimento e países em transição subiram nos últimos dez anos, de US$ 147 bilhões em 1990 para mais de US$ 1 trilhão em 2004.  Juntas, as economias em desenvolvimento foram responsáveis por 13% da emissão de IED em2005, enquanto que em 1990 essa proporção correspondeu a 7%.

Argumentos
 Entre as economias em desenvolvimento, as da Ásia ainda são, de longe, as maiores fontes de investimento. Os Tigres Asiáticos foram responsáveis por 52% do IED emitido entre 1999 e 2004.
 A Rússia é outra grande fonte de IED do Sul, com uma forte concentração de investimentos nos setores de recursos naturais e detransportes nos países da antiga União Soviética. As metalúrgicas também são importantes multinacionais, a Rússia é o segundo maior produtor de alumínio do mundo, responsável por 10% do mercado global.

Argumentos
 Para fortalecer o investimento sulafricano no exterior, depois do fim do regime de apartheid o governo adotou políticas para estimular suas multinacionais a se voltar para o resto da...
tracking img