Intervencoes urbanas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4933 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Índice

Introdução .......................................................2


Capitulo 1: ....................................................... 3
Intervenção Urbana de Haussmman

Capitulo 2........................................................9
Intervenção Urbana de Cerdà

Capitulo 3 .......................................................18Intervenção urbana de Pereira Passos

Conclusão .......................................................24

Bibliografia .....................................................26

Introdução

Esta pesquisa apresenta as reformas urbanas ocorridas nas cidades de Paris, Barcelona e Rio de Janeiro, com características em comum tais como: ruas largas e retas, áreas verdes, elitização da cidade,substituição do “velho pelo novo”, e saneamento. As intervenções urbanísticas ocorridas nas cidades foram comparadas entre si, no século XIX feitas por Haussmann e por Cerdà e no século XX por Pereira Passos.
Diante disso, o objetivo deste trabalho foi apresentar um estudo teórico do contexto histórico de cada intervenção, mostrando suas influencias, explicando seus objetivos e justificativas paraterem sido realizadas.
Os resultados mostraram que o urbanismo europeu do século XIX, proposto por Haussmann e Cerdà, influenciou diretamente no Brasil.

Capítulo 1
Intervenção urbana de Haussmann (Paris)
* Contexto Histórico: Determinação da Reforma
Diziam que Charles-Louis Napoleão Bonaparte, sobrinho do imperador, desembarcara em Paris, em 1848, cidade da qual pouco sabia, com ummapa das futuras reformas urbanas que nela pretendia fazer. Seu antepassado ilustre, Napoleão I, tivera ambiciosos planos para mudá-la, mas as sucessivas guerras e as custosas campanhas militares que o levaram à conquista de boa parte da Europa absorveram parte substancial dos recursos que ele imaginara investir.
Dois fatores foram determinantes na ordem de Napoleão III em dar começos às obras. Oprimeiro deles era evitar que no futuro um levante revolucionário tivesse sucesso - entre 1827 e 1849, por oito vezes foram levantadas barricadas na cidade -, situação que ele tivera que enfrentar em dezembro de 1851, quando houve reação armada da esquerda e dos operários da cidade contra o desejo dele de continuar à cabeça do poder executivo francês através de um golpe de estado, desta feita nãomais como presidente (ele fora eleito diretamente nas eleições da Segunda República, proclamada em 1848), mas como imperador dos franceses. Levante este que foi duramente sufocado pelas guarnições militares chamadas a intervir.
O outro fator foi à erupção de uma segunda epidemia de cólera (a de 1832 matara 20 mil moradores) que varreu a cidade na esteira das desordens provocadas pela Revoluçãode 1848 e que redundou em 19 mil vítimas. A topografia da Paris da época, especialmente o miolo da cidade - casas amontoadas, ruas estreitas e vielas lúgubres, sistema de esgotos a céu aberto, higiene clamorosamente falha, ar puro inexistente e luz do sol insuficiente - faziam com que o centro super povoado da Vieux Paris fosse uma ameaça permanente à integridade dos seus habitantes e monturomal-cheiroso de onde invariavelmente se expandiam as pragas ao tempo que servia de abrigo ao tifo e ao tétano.
Os horrores causados pela insalubridade e pela má vida que se levava então, particularmente entre as classes proletárias, já haviam sido tema da literatura, tanto de Victor Hugo (Les miserables) como de Eugene Sue (Les mystères de Paris), que sistematicamente denunciaram a sordidez daexistência dos moradores pobres da capital.
Pouco, havia mudado da Paris medieval até a metade do século XIX. Desde o século XVIII o Iluminismo provocara uma significativa alteração nas mentalidades e
conhecimentos, mas o que ainda imperava no traçado urbano da capital era o arcaico enredado...
tracking img