Insuficiencia cardiaca congestiva

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1790 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Insuficiência Cardíaca Congestiva
ICC

Insuficiência Cardíaca Congestiva


Definição
Incapacidade do coração em bombear para a circulação um volume de sangue suficiente para suprir as necessidades do organismo

Etiologia


Disfunção sistólica


Qualquer situação que altere a contractilidade miocárdica pode alterar a função sistólica, diminuindo o Débito Cardíaco

Disfunção diastólica


Síndrome do coração rígido – ocorre quando o ventrículo não enche adequadamente durante a diástole; também aqui, o DC está alterado

Etiologia


As causas podem ser divididas em 3 grupos


Pré carga – Volume de sangue ventricular no final da diástole


Obedece à lei de Starling (pode resultar de regurgitação mitral, ou aórtica, defeitos septais ou rápida infusãode soluções)



Pós carga – força que o ventrículo tem de desenvolver para ejectar o sangue no sistema circulatório; é a pressão contra a qual o coração tem de funcionar


Pode ser provocado por estenose aórtica ou pulmonar, HTA sistémica ou HTA pulmonar



Constrição do ventrículo – o que limita o enchimento ventricular e portanto diminui o volume sistólico


Pode resultar dotamponamento constritivas, Pericardite, Fibrose...

cardíaco,

cardiomiopatias

Epidemiologia


A

IC

está

a

aumentar

sua

incidência,

prevalência e taxa de mortalidade

  

Aumenta com o avançar da idade
Aumenta com a doença das artérias coronárias Aumenta com o nº de sobreviventes de EAM Aumenta como secundária a outras doenças


Hipertensão,hematócritas...

Diabetes,

colesterol,

alterações

Factores precipitantes agudos

          

Ingestão aumentada de Na Má adesão terapêutica para a ICC EAM Agravamento da HTA Arritmias agudas Infecções e ou febre Embolia pulmonar Anemia Gravidez Tirotoxicose Miocardite aguda Endocardite infecciosa

Fisiopatologia


Normalmente

começa

com

disfunção

sistólica causadapor
1.

Doença coronária

2.

Estenose aórtica
HTA

3.

Fisiopatologia
Doença das coronárias

Diminui o aporte de O2

Diminui a contractilidade

Fisiopatologia
Estenose aórtica

VE tem que aumentar a pressão

Gasta mais e desenvolve-se mais

Fisiopatologia
HTA

Aumento das pressões do VE Para vencer as pressões sistémicas Hipertrofia, aumento do consumo Redução dadiástole

Fisiopatologia
1.
a.
 

Mecanismos cardíacos compensatórios
Taquicardia
DC = VE x F PA = DC x RVP


À medida que a FC continua a aumentar, a diástole é encurtada, ocorrendo um enchimento inadequado dos ventrículos, e o débito cardíaco acaba por diminuir

b.


Dilatação ventricular
Lei de Starling


Havendo uma maior força de contracção, há um aumento do retornovenoso, aumentando o débito cardíaco

c.


Hipertrofia do miocardio
Aumento do diâmetro das fibras provocando contracções mais eficazes




A maior limitação é a dificuldade de abastecimento das coronárias, resultando hipóxia Concentrações de Ca aumentadas por destruição do retículo

Fisiopatologia
2.
a.


Mecanismos compensatórios homeostáticos Sistema vascular
Adiminuição do volume de sangue em circulação estimula o SN simpático, provocando a libertação de norepinefrina

b.


Rins
Baixo débito  deficiente perfusão renal  anúria. Reduzindo a pressão arterial nos rins  filtração glomerular  retenção de água e Na. Há estimulação do córtex supra-renal e aumento da produção da aldosterona  maior reabsorção de Na   produção da hormona antidiurética peloHipotálamo Maior reabsorção de água  sobrecarga hídrica edemas

c.


Fígado
O aumento do volume venoso implica congestão hepática   Incapacidade de metabolizar a aldosterona e a ADH

Classificação da IC
1.


Retrógrada vs Anterógrada
A retrógrada resulta do impedimento da circulação nos vasos proximais ao coração; a anterógrada resulta da incapacidade do coração em...
tracking img