Informatica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2015 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
POESIAS DE AMOR DE VINICIOS DE MORAES

Ternura Eu te peço perdão por te amar de repente Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos Das horas que passei à sombra dos teus gestos Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos Das noites que vivi acalentando Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente. E posso te dizerque o grande afeto que te deixo Não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas Nem as misteriosas palavras dos véus da alma...É um sossego, uma unção,um transbordamento de carícia se só te pede que te repouses quieta,muito quieta deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade olhar estático da aurora.

Vinícius de Moraes

Soneto do Amor Alan tanto,meu amor... Não câmbio humano coração com mais verdade... Amo-te como amigo e como amante Numa sempre diversa realidade. Amo-te afim, de um calmo amor prestante te amo além, presente na saudade.Amo-te, enfim, com grande liberdade Dentro da eternidade e a cada instante.Amo-te como um bicho, simplesmente De um amor sem mistério e sem virtude Com um desejo maciço e permanente.E de te amar assim, muitoe amiúde que um dia em teu corpo de repente Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinícius de Moraes

Ausência Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto. No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minhavoz a tua voz.Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.Eu deixarei... Tu irás e encostarás a tua face em outra face. Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada. Mas tu não saberásque quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite. Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa. Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço. E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado. Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos. Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir. E todas aslamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Vinícius de Moraes

Ai de quem ama Quanta tristeza Há nesta vida Só incerteza Só despedida Amar é triste que é que existe?O amor Ama, canta Sofre tanta saudade Do seu carinho Quanta saudade Amar sozinho Ai de quem ama Vive dizendo Adeus, adeusVinícius de Moraes

SONETO DO AMOR MAIOR amor nem mais estranho existe Que o meu, que não sossega a coisa amadas quando a sente alegre, fica triste se a vê descontente, dá risada. E que só fica em paz se lhe resiste amado coração, e que se agrada Mais da eterna aventura em que persiste Que de uma vida mal aventurada. Louco amor meu, que quando toca, fere quando fere vibra, mas prefereFerir a fenecer - e vive a esmo Fiel à sua lei de cada instante Desassombrado, doido, delirante Numa paixão de tudo e de si mesmo.

Vinícius de Moraes

CRONICAS DE VÍNICIOS DE MORARES
Uma Mulher Chamada Guitarra Vinicius de Moraes UM DIA, casualmente, eu disse a um amigo que a guitarra, ou violão, era "a música em forma de mulher". A frase o encantou e ele a andou espalhandocomo se ela constituísse o que os franceses chamam um MT d'esprit. Pesa-me ponderar que ela não quer ser nada disso; é, melhor, a pura verdade dos fatos. Zero violão é não só a música (com todas as suas possibilidades orquestrais latentes) em forma de mulher, como, de todos os instrumentos musicais que se inspiram na forma feminina — viola, violino, bandolim, violoncelo, contrabaixo — o único que...
tracking img