Informalidade na administração pública

MOTTA, Paulo Roberto. (2007). A modernização da administração pública brasileira nos últimos 40 anos. Revista de Administração Pública, 41(spe), 87-96.
ULTRAMARI, Clovis e REZENDE, Denis Alcides.(2008). Planejamento estratégico e planos diretores Municipais: referenciais e bases de aplicação. Revista de Administração Contemporânea, v. 12, p. 717-739.
Perguntas:

1) Paulo Roberto Motta (2007)discute os limites da formalidade institucional na administração pública brasileira e os problemas daí decorrentes. Descreva os fatores de informalidade apresentados pelo autor e discorra sobre osproblemas que decorrem de cada um deles.

Motta (2007) destaca dois fatores de informalidade na Administração Pública: o personalismo paternalista e a presença de grupos preferenciais que se organizamexternamente às instituições.
O personalismo está relacionado com o grande destaque e poder centralizado na figura de um líder, geralmente, representante das elites, que desfruta de privilégiosobviamente não ofertados a grande massa social, esta tendo pouca participação e representatividade nos governos, favorecendo a manutenção das desigualdades. Ressalta-se que o caráter personalista geraineficiência e morosidade à Administração, haja vista prevalecer a vontade do dirigente político, ou seja, dar visibilidade à nova gestão descontinuando os trabalhos anteriores para refazê-los com a suamarca.
O caráter personalista também favorece a criação de grupos preferenciais que se unem para manter o poder e utilizam a máquina pública, através das ações governamentais para satisfazer avontade de políticos e empresas ligados ao governo e se beneficiarem dos recursos públicos, sendo, portanto, o caráter personalista um fator gerador de corrupção.


2) A história recente do planejamentourbano está permeada por mudanças nos conceitos, mecanismos, legislações e prioridades envolvendo as cidades. Tais mudaças têm direcionado o administrador público para uma destinação mais social da...
tracking img