Infografia no jornalismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3170 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
VIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da Região Sul – Passo Fundo – RS

O uso da infografia no jornalismo científico brasileiro – estudo da
revista Superinteressante1
Mayara Rinaldi2
Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC

Resumo: Este estudo tem como proposta avaliar de que forma ainfografia tem sido
utilizada na revista Superinteressante no período de 1994 a 2004. Pretende-se entender
como o recurso foi empregado no auxílio da compreensão das matérias desta publicação
que cobre Ciência, Tecnologia e Inovação, sendo que a revista figura entre as mais
vendidas do país, pode ser considerada pioneira no investimento em infográficos e se
destaca mundialmente, tendo recebido váriosprêmios internacionais. A análise da
publicação, um estudo de caso, apontou para um emprego inconstante do recurso,
associado à vontade do diretor de redação de fazê-lo, e uma utilização muitas vezes de
caráter não jornalístico.
Palavras-chave: infografia; jornalismo; jornalismo científico; imagem
Introdução

A prática de infografia, muitas vezes associada à informática, é, ao contrário,anterior aos computadores. Valero Sancho (2001) explica que “desde que se realizan
dibujos informativos ha habido infografias y éstas aparecieron en los periódicos desde
hace 200 años” (p.25). Entretanto, por muito tempo ela permaneceu como um recurso
secundário, pouco utilizado pelos veículos de comunicação. No Brasil, a infografia se
popularizou na década de 1990 - “A partir de 1996, apalavra deixou a esfera dos
iniciados e estabeleceu-se definitivamente no cenário do jornalismo brasileiro”
(MORAES, 1998: 71). Entre as publicações do país que utilizam o recurso, a revista
Superinteressante, do Grupo Abril, pode ser considerada como uma publicação de
destaque na área de infografia, tendo em vista que entre 1994 e 2004 quatro matérias
foram vencedoras do Prêmio Malofiej deInfografia3 e em 2002 foi eleita pela
Universidade de Navarra a revista que melhor produz infográficos no mundo devido ao
conjunto de infografias do ano anterior.

1

Trabalho apresentado ao GT Jornalismo, do VIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da
Região Sul.

2

Estudante de Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. Bolsista do
PIBIC/CNPq e membrodo Núcleo de Pesquisas em Linguagens do Jornalismo Científico (NUPEJOC)
3
Prêmio concedido pela Society of News Design (SND)

1

Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
VIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da Região Sul – Passo Fundo – RS

Em maio de 1994, dois jornalistas da revista fizeram um curso sobre infografia
oferecido pelaEditora Abril com profissionais de fora do país. No mês seguinte, o
jornalista e doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP),
Eugênio Bucci, atual presidente da Radiobrás, assumiu o cargo de diretor de redação da
Super (permanecendo até 1998) e a partir de então o uso de infográficos começou a
crescer. Em entrevista concedida à autora, Bucci afirmou que utilizarinfografia era
quase uma obrigação. “Eu forçava o uso da infografia, porque se eu não fizesse isso,
não construiria na redação um ambiente que lidasse naturalmente com este recurso e
este foi um diferencial da Superinteressante”4.
Levando em consideração tal histórico, este artigo pretende avaliar, a partir de
um estudo de caso, de que forma tem sido utilizada a infografia na Superinteressante noperíodo de 1994 a 2004 e verificar como este recurso pode auxiliar na compreensão de
assuntos relacionados à Ciência, Tecnologia e Inovação, temática do periódico. Apesar
de estereótipos relacionados ao método, ele foi adotado devido às perguntas da
investigação, “como” e “por que” se utiliza infográficos na revista. A generalização de
resultados a partir de estudos de caso, ao contrário do...
tracking img