infectologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1240 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de setembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
III - Imunidade

Definição: conjunto de processos mediados por células e/ou moléculas que resultam na proteção de indivíduos contra partículas estranhas (microorganismos, toxinas...) quer sejam patogênicas ou não.

Antígeno - Conceito: toda substância que introduzida no organismo é capaz de desencadear uma resposta imunológica específica, humoral (mediada por anticorpos) e/ou celular.

I- Imunidade – tipos

Inata (inespecífica): presente mesmo antes do contato com a partícula estranha, já ao nascer.
Adquirida (específica, adaptativa): desenvolve-se após contato com a partícula estranha (antígenos).


II – Imunidade específica pode ser adquirida naturalmente ao se infectar ou induzida. A imunidade induzida é classificada em:
Ativa - obtida pelo uso da vacinação, que fazcom que o indivíduo produza os anticorpos contra o antígeno contido na vacina.
Passiva – o indivíduo recebe os anticorpos já produzidos por outro organismo ( por exemplo, passagem pela placenta, pelo colostro, soroterapia antiofídica...)

Imunidade inata (inespecífica)
Consiste na primeira defesa contra partículas estranhas, não melhora com a repetição da exposição, é pouco eficiente e ofereceproteção contra número limitado de partículas.
É constituida por:
A) barreiras físicas e químicas (epitélios e mucosas e substâncias produzidas por eles)
B) Células de monitoramento: macrófagos, neutrófilos e células exterminadoras naturais (natural Killers)
C) Fatores solúveis do plasma: sistema complemento

Imunidade adquirida (específica)
Desenvolve-se após contato com a partículaestranha, lentamente. Ocorre uma memória contra a partícula estranha, de modo que numa segunda exposição a resposta é mais eficiente e rápida.
Muito eficiente, respondendo contra grande diversidade de partículas estranhas.

Células da imunidade específica
Macrófagos
Células dendríticas e celulas de Langerhans
Linfócitos B: 10-20% dos linfócitos periféricos. Diferenciam-se na medulaóssea
Linfócitos T: 60-70% dos linfócitos periféricos. Diferenciam-se no timo. Subdivididos em:
- Linfócitos T auxiliares (helpers – CD4) – auxiliam a ativação de outras células (linfócitos B, macrófagos...)
- Linfócitos T citotóxicos (CD8) – causam morte da célula alvo.
Alguns linfócitos B e T são células de memória que podem desencadear rapidamente a resposta imune ao ocorreruma re-infecção.

III – A Imunidade adquirida conforme os tipos de resposta é dividida em:
Celular – linfócitos T atacam diretamente células estranhas ou infectadas.
Humoral – mediada por anticorpos produzidos pelos plasmócitos, que originam-se dos linfócitos B

Imunidade ativa
Uma pessoa naturalmente desenvolve imunidade ativa após a ocorrência de infecção ou pode ser induzida porvacinas.
Immunização envolve o uso de vacinas, substâncias que contém um antígeno ao qual o sistema imune responde.
Vacinas são usadas para induzir uma imunidade ativa de longa duração em uma pessoa sã.
Após a exposição à vacina, que é um agente antigênico não virulento, anticorpos são produzidos.
Com o reforço ou uma segunda exposição, os títulos de anticorpos aumentam muito.A imunidade ativa é duradoura porque as células de memória (linfócitos B e T de memória) são capazer de reagir rapidamente à exposição de até baixas quantidades de antígenos.

Imunidade passiva
A imunidade passiva ocorre quando os anticorpos já produzidos em outro ser são administrados a uma pessoa.
Ex.1 - O RN nasce com anticorpos que passaram a partir do sangue da mãe, via placentária.Ex.2 - O aleitamento também fornece anticorpos que, sendo o trato digestivo do RN imaturo, não são destruídos e conseguem ser absorvidos pelo tubo digestivo. O colostro contém grande quantidade de anticorpos.
Ex.3 – uso de gamaglobulina antitetânica, uso de soro antiofídico, soro antiaracnídeo, antidiftérico...

A imunidade passiva é de curta duração, uma vez que os anticorpos não foram...
tracking img