Industrialização tardia i, ásia, américa latina e áfrica

Capítulo VI
INDUSTRIALIZAÇÃO CLÁSSICA I: EUROPA I

Denomina-se industrialização clássica a ocorrida no período da Primeira e Segunda Revolução Industrial, ou seja, no século XVIII e mais efetivamente no século XIX. Nos países da Europa Ocidental houve grandes avanços na produção, e os Estados Unidos também iniciaram sua industrialização nesse período.

O pioneirismo inglês
A Inglaterrafoi pioneira no processo de industrialização, e vários fatores de ordem política, econômica e social contribuíram para isso. Como a maior potência comercial do planeta na época, ela dominava territórios coloniais, que abasteciam o país com recursos naturais, matérias-primas e riquezas. Também o fato de ter sido a primeira monarquia parlamentarista da história ajudou nesse processo.
Em 1689, após aRevolução Gloriosa, a burguesia comercial inglesa conseguiu limitar o poder do rei e aumentar o do parlamento, onde ela própria tinha participação. Tornava-se então obrigatória a aprovação das câmaras para qualquer aumento de impostos; garantia-se a liberdade individual, de imprensa e de propriedade.
Tais medidas criaram condições para o florescimento da doutrina liberal, uma das bases de sualiderança industrial. Essa doutrina levou a Inglaterra a empregar o conceito de livre comércio para justificar práticas imperialistas, como a abertura dos portos em várias nações do globo.

Revolução Agrícola e maquinaria
Mas o pioneirismo industrial inglês também se deve a transformações que desde o século XVII aconteciam no campo. Na passagem da ordem feudal para a capitalista, o processo detransformação das terras comunais em propriedades privadas, chamado de cercamentos, significou mudanças na estrutura fundiária inglesa .
Esse processo também se relaciona à Revolução Agrícola, ocorrida no século XVIII. Os senhores de terras, adotando técnicas modernas para a época, como o uso de máquinas, adubos artificiais e novos cultivos, eliminaram os campos comunais utilizados pelospequenos camponeses. A criação de gado ganhou importância, sobretudo na produção de lã para a indústria têxtil.
Esse conjunto de elementos, combinado a uma produção comercial capitalista mais produtiva, possibilitou o aumento da produção agrícola para abastecer as cidades e o fornecimento de mão de obra abundante para as indústrias - já que milhares de camponeses sem terra migraram para as cidades,formando uma enorme reserva de mão de obra para a indústria nascente.
Iniciou-se a utilização de máquinas na produção têxtil, substituindo a produção manual.

Indústria, recursos minerais e urbanização
A existência de jazidas de carvão e ferro na Inglaterra também contribuiu muito para a sua industrialização. Essas jazidas funcionaram como pólos de atração para muitas indústrias, que seinstalaram em seus arredores. Dessa maneira, formaram-se regiões industriais com elevada concentração populacional e intensamente urbanizadas, como Yorkshire.
A siderurgia desenvolveu-se muito com a utilização do ferro fundido na construção civil (pontes, prédios), ferroviária (trens, trilhos) e naval (navios com casco de ferro).
A proximidade do porto, a estrutura já montada nos séculos anterioresde capitalismo comercial, o fato de ser o centro financeiro e de serviços, além de capital do império britânico, tomaram Londres a mais importante metrópole do mundo no século XIX. Isso fez com que a área metropolitana concentrasse muitas indústrias menos dependentes do carvão, principalmente no século XX, como a farmacêutica, a química e a automobilística.

O Reino Unido na era da TerceiraRevolução Industrial
Nas últimas décadas, com a Revolução Técnico-científico-informacional, antigos centros industriais perderam força, enquanto outras áreas revitalizaram-se, abrigando centros industriais de alta tecnologia.
A substituição, na indústria, do carvão por derivados de petróleo e energia elétrica quase encerrou o trabalho nas minas de carvão, que tem sido utilizado principalmente...
tracking img