Indisciplina

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3599 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PROJETO DE PESQUISA – MESTRADO



FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA

UNIVERSIDADE DE

SÃO PAULO













RELATOS DE INDISCIPLINA: O QUE ESTÁ POR TRÁS DOS CONFLITOS NO COTIDIANO ESCOLAR
























CANDIDATO: CLAUDIO MARQUES DA SILVA NETO


GRADUADO EM PEDAGOGIA

1. TÍTULO

RELATOS DE INDISCIPLINA: O QUE ESTÁ POR TRÁS DOS CONFLITOS NOCOTIDIANO ESCOLAR.




2. APRESENTAÇÃO

Como professor, Coordenador Pedagógico nos níveis fundamental e médio e, atualmente, como Supervisor Escolar, no sistema municipal de ensino de São Paulo, tenho constatado por parte dos professores, dos alunos e da instituição escolar uma imagem negativa dos conflitos e, sobretudo, o sentimento de impotência da escola para lidar com eles, cujafalta de atenção e, conseqüentemente, sua perspectiva negativa, pode ser objeto das situações de indisciplina na escola. Como decorrência dessa imagem, percebo a dificuldade de sociabilidade entre professores e alunos e que, por vezes, inviabiliza o andamento pedagógico, em que brigas, desentendimentos, agressões físicas e desacatos têm exigido intervenções freqüentes.

Provavelmente, essequadro ocorra também devido à conjuntura política, econômica e social que nossa sociedade vive atualmente, que segundo Arendt, faz da crise da modernidade a crise da educação (Hannah Arendt. Perspectiva; 1997). Em outras palavras, o que a população obtém da escolarização de massa, em termos culturais, obedece menos às suas especificidades culturais, étnicas, de gênero e de grupo social do que alógica do impacto privado, gestado e implementado pela escola, apesar das distorções entre a representação desta instituição e o dia-a-dia do trabalho docente.

Por conseguinte, constata-se uma relativa confusão conceitual em que os professores definem a indisciplina desde a apatia do aluno às manifestações de incivilidades. Talvez essa confusão seja gerada, sobretudo, pelo nãodistanciamento necessário para refletir e agir sobre o problema. Assim, é comum nas discussões sobre indisciplina, os educadores a reconhecem como um problema, mas ao mesmo tempo a apontarem como causa e não como conseqüência do processo ou das relações no ambiente escolar. Tenho notado nos últimos anos que os alunos não se dividem mais entre os que sabem e o que não sabem e sim entre os que fazem e os quenão fazem as atividades propostas. Será que não temos aqui uma crise de autoridade? Não seria essa a causa da indisciplina que melhor investigada poderia ser caracterizada como contestação? Certamente, faz-se necessário um olhar mais aprimorado sobre a tríade autoridade e seu papel na instituição escolar, obediência e consentimento que embora as duas últimas pareçam sinônimos, seus conceitosseparam as ações autoritárias das intenções democráticas.

Hoje, nota-se a incompreensão do sentido da escolarização e um relativo desconhecimento da cultura escolar por parte dos alunos, e de sua inadequação, ora desconhecida, ora desconsiderada por boa parte dos professores, no que se refere:

a) à cultura valorizada pela escola: ao seu ideal de produção intelectual, artístico,social, estético etc., proporcionando a produção, manutenção e fortalecimento de sua identidade, incomum com a vida de seus usuários, historicamente expropriados desse mesmo ideal de produção, cuja imposição no universo escolar revela-se traumática e violenta. Assim, o nível de escolarização das famílias dos alunos e suas vivencias sociais destoam do grau de exigência da escola. Por outro lado seurepertório cultural não se tornou ainda objeto de interesse da escola.

b) ao seu significado histórico: como fruto de um contínuo processo de construção, forjado ao longo do tempo e recebendo múltiplas influências, sobretudo, das classes dominantes que ditam seus ideais e valores. A percepção deste significado é essencial para professores e alunos compreenderem a complexidade da...
tracking img