Inclusão

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3924 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA
ANA PAULA FREITAS MEIRELLES – RU – 328094

INCLUSÃO E CORPOREIDADE NO COTIDIANO DA PRÁTICA DOCENTE
Fundamentos para Educação Especial
Metodologia do Ensino de Educação Física
Organização Pedagógica – Espaços Educativos
Pesquisa e Prática Profissional – Educação Especial

VARGINHA
2009

FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA
ANA PAULA FREITAS MEIRELLES– RU – 328094 – 05/2009



INCLUSÃO E CORPOREIDADE NO COTIDIANO DA PRÁTICA DOCENTE
Fundamentos para Educação Especial ;
Metodologia do Ensino da Educação Física;
Organização Pedagógica Espaços Educativos;
Pesquisa e prática profissional – educação especial.

Produção deAprendizagem
apresentada à UTA Corporeidade e
Inclusão, no Curso de Pedagogia à
Distância da Faculdade Internacional
de Curitiba.Tutor Local:

Centro Associado:

VARGINHA
2009

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.........................................................................................03
INCLUSÃO E CORPOREIDADE NO COTIDIANO DA PRÁTICADOCENTE................................................................................................05
CONSIDERAÇÕES FINAIS.....................................................................11
REFERÊNCIAS........................................................................................12
APÊNDICE – QUESTÃO INDIVIDUAL.....................................................13

Introduçao
A Inclusão e corporeidade no cotidiano da práticadocente é um tema que ainda gera muitas controvérsias, por ser tratar de uma prática relativamente nova no campo da pedagogia. A inclusão visa trabalhar o aluno em suas diferenças e a corporeidade visa trabalhar o aluno na sua totalidade. E cabe ao docente encontrar um caminho que possa explorar toda a potencialidade de uma forma integral do seu alunado.
É fácil? NÃO, mas é necessário, porque ocontexto sócio-histórico atual nos mostra que somos todos iguais nas diferenças e que se trabalharmos o aluno no seu todo os resultados serão bem mais expressivos.
A História nos mostra que os deficientes passaram por quatro fases distintas deste o começo da humanidade, foram elas: o extermínio, segregação, integração e estamos na inclusão, que deve inicio na década de 90 no Brasil, e é um movimentoque compreende a educação como um direito fundamental do ser humano. Vários são os acordos internacionais e as leis que norteiam a prática inclusiva no contexto escolar. Porém só as leis não são suficientes, pois esta prática requer mudanças de atitudes de uma sociedade de forma geral e requer, acima de tudo, respeito a essas diferenças.
Já em relação à corporeidade, inicio - se na década de 80e é uma concepção da Disciplina da Educação Física que reconhece a importância e a capacidade de um indivíduo em se relacionar com o mundo utilizando o corpo como instrumento. Segundo Ramos (Gonçalves p.20) “O exercício físico surgiu com o homem sobre a face da terra”. A complexidade da corporeidade remete-nos a idéia de que a educação física não pode ser considerada como uma disciplina de formaisolada, como é vista por vários professores até hoje. Falando de corporeidade e aprendizagem; falamos em fatores que concorrem para uma aprendizagem integral, construção do conhecimento que envolve a parte motora, cognitiva, social e afetiva.
E aí, como se trabalhar com esses novos paradigmas educacionais no cotidiano da prática docente?
Acima de tudo o professor tem que estar preparado e...
tracking img