Impacto das crise nos consumidores

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (845 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE
PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO
CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LÍNGUAS – CCL

ANÁLISE SOBRE O IMPACTO DAS CRISES ECONÔMICAS NOS CONSUMIDORES E SUA CICLICIDADE6º Semestre - Noturno

Cada vez mais a tendência do Mercado é que as crises aconteçam mais próximas umas das outras. Como toda dificuldade sócio-econômica que a população passa, a tendência é que aspessoas estejam cada vez mais adaptadas a essa realidade. Começaram de dez em dez anos, diminuíram para cinco e a previsão hoje é de que aconteçam a cada três anos.

Um grande fundamentalistaeconômico, Joseph Schumpeter criou um modelo que classifica a duração no qual descreve as crises e sua ciclicidade, baseando-se em 5 ciclos , mas vamos nos focar em dois ciclos : o ciclo de  Kitchin ( 3 anos)e o ciclo de Juglar (10 anos).

Como apresentado, a crise das bolsas asiáticas se encaixa perfeitamente no modelo de Juglar, que consiste em  crises de superprodução nas economiasindustrializadas, quando um período de rápida expansão e muitos investimentos sofrem uma quebra, motivada pelo excesso de oferta sobre a procura. Segue-se uma depressão com o abrandamento das atividades,falências, desemprego, quebra no poder de compra e baixa nos preços e como pudermos ver dez anos após, o Japão teve um crescimento acelerado, bem acima da média, o que levou no ano seguinte uma economiaestagnada.... concluindo que dez anos após a crise das bolsas asiáticas, o Japão sofre nova crise.

Já na crise da Europa podemos aplicar o ciclo de Kichin que consiste em crises de caraterde políticas fiscais e monetárias e também como em toda crise deve-se considerar a expeculação...

Como sabemos, a zona do euro sofre a atual crise principalmente por problemas fiscais, comoexemplo desse efeito desastroso, a Grécia, exemplo mais grave de descontrole das contas públicas, sua dívida/ é mais que o dobro do PIB. A desconfiança de que os governos da região teriam...
tracking img