Imobilismo político e crescimento económico do pós-guerra a 1974

História A
Coordenadas económicas e demográficas

Imobilismo político e crescimento económico do pós-guerra a 1974
 Politicamente, após a Segunda Guerra Mundial, Portugal manteve a mesma feiçãoautoritária ignorando a onda democrática que inundava a Europa. No que se refere à economia, viveu-se um período conturbado na medida em que o atraso do país era evidente não acompanhando ocrescimento económico do resto da Europa, marcado pela estagnação do mundo rural e pela emigração.
Por outro lado, também ocorreu um considerável surto industrial e urbano e as colónias tornaram-se alvodas preocupações. A economia manteve estruturas que impossibilitaram o crescimento económico.

Estagnação do mundo rural e o surto industrial
 
Apesar de a agricultura ser o sector dominante, erapouco desenvolvida caracterizada por baixos índices de produtividade que fazia de Portugal dos países mais atrasados da Europa. O principal problema consistia na dimensão das estruturas fundiárias noNorte predominava o minifúndio que não possibilitava mecanização; no Sul estendiam-se propriedades imensas os latifúndios, que se encontravam subaproveitados.
Face a esta situação elaboraram-seplanos de reforma consistentes que tomaram como referencia a exploração agrícola média, fortemente mecanizada, capaz de assegurar um rendimento confortável aos seis proprietários e assim, contribuir paraa elevação do consumo de produtos industriais.

Estas medidas foram enunciadas no II Plano de Fomento (1959), mas como já tinha acontecido no passado, ergueu-se contra elas a cerrada oposição doslatifundiários do Sul, que utilizam a sua grande influência politica para as inviabilizarem.
Assim, as alterações na estrutura fundiária acabaram por nunca se fazer e a política agraria esgotou-seem subsídios e vários incentivos que tiveram pouco efeito. Os preços baixos na agricultura desincentivaram o investimento o que contribuiu para agravar as dificuldades do setor. Na década de 60 a...
tracking img