Igreja bola de neve

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1910 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
IGREJA BOLA DE NEVE





















SOROCABA – JUNHO 2012





















IGREJA BOLA DE NEVE


















Trabalho desenvolvido para a disciplina
de Sociologia no 1º ano do Ensino Médio
sob orientação da professora


SOROCABA – JUNHO 2012
Sumário

Introdução................................................................................................................ 4
Conceito de religião de Marx ................................................................................... 5
Conceito de religião de Durkheim ............................................................................ 6
Conceito de religião de Weber................................................................................. 7
Igreja Bola de Neve .................................................................................................. 8
Conclusão ............................................................................................................... 10
Referências ..........................................................................................,.................. 11Introdução

O trabalho mostra o conceito de religião de Marx, Durkheim e Weber. Fala sobre a Igreja Bola de Neve, e o seu modo diferente de fazer um culto, que o fazem assim para chamar pessoas que em outras religiões não são totalmente aceitas, por terem escolhido se vestir de forma diferente, usar piercings, tatuagens, etc.Conceito de religião de Marx

A maneira marxiana de analisar a realidade social é fundada numa perspectiva ontológica, o que a diferencia substancialmente de Durkheim e Weber. A perspectiva ontológica marxiana difere, em suas linhas básicas e essenciais, das perspectivas gnosiológicas de análise da realidade social.A perspectiva ontológica busca entender, como o em si pode ser capturável em sua integridade. Na perspectiva de Marx, qualquer componente da ação ou da identidade dos indivíduos que não resulte ou não se vincule diretamente a sua inserção “objetiva” no processo produtivo tem um status meramente residual. A devoção religiosa, na medida em que não é um componente essencial das identidadesindividuais, não foge a essa regra. Tudo que se tem a dizer sobre ela é que é inconsistente com a identidade essencial dos indivíduos, são cognições disfuncionais com o que indivíduos históricos concretos virão a ser. Portanto, a religião não é propriamente objeto de seu estudo, mas de condenação.

Para Marx: “tudo o que existe, tudo o que vive sobre a Terra e sob a água, não existe e não vive, senão emvirtude de um movimento qualquer. Assim, o movimento da história cria as relações sociais, o movimento da indústria nos proporciona os produtos industriais etc.”(Miséria da Filosofia).





























Conceito de religião de Durkheim

Ao tomar como objeto a religião, Durkheim tenta estabelecer que ela não suponha necessariamente a crença num Deustranscendente. Ela é antes de tudo um “sistema de crenças e de práticas”. A religião é vista como um fenômeno coletivo, onde ele procura mostrar de forma concludente que não pode haver crenças morais coletivas que não sejam dotadas de um caráter sagrado. Sua existência baseia-se numa distinção essencial entre fenômenos sagrados e profanos. É um conjunto de práticas e representações que vemos em açãotanto nas sociedades modernas quanto nas sociedades primitivas. Portanto, sua sociologia da religião está referida a uma teoria do conhecimento e à questão da coesão social.
Para Durkheim, a racionalidade prática jamais pode ser o fundamento da orientação da ação social e muito menos de qualquer forma de sociabilidade. Para ele, a racionalidade humana está assentada sobre bases emocionais, e,...
tracking img